Siga o MyCNB  
  • Menu
  • Colunas
  • Coluna do DrPuppet #15: nova queue é prejudicial a profissionais e aspirantes

Coluna do DrPuppet #15: nova queue é prejudicial a profissionais e aspirantes

De uns tempos para cá, cyber-atletas estão citando problemas na solo queue, como a demora em encontrar as partidas e o preenchimento automático de roles, que começou com a nova atualização. Desde a mudança que trouxe a dynamic queue, jogadores profissionais e amadores de elo alto estão reclamando, e por vários motivos.

O cyber-atletas, aliás, haviam previsto os possíveis problemas que essa mudança da solo queue provocaria. Agora, decidiram praticar individualmente fora da solo queue e migraram para as famosas in-houses. Os participantes da LCS North America começaram a jogar solo queue no servidor de torneio após a atualização que trouxe o preenchimento automático.

Não demorou muito para que os jogadores brasileiros fizessem o mesmo. Os cyber-atletas que disputam o 2º Split do Campeonato Brasileiro de League of Legends (CBLoL) começaram a treinar na solo queue do servidor de torneio.

Até agora, os profissionais estão reclamando do estado atual da solo queue, e com boa razão. É nela onde os jogadores conseguem não só aprender novos campeões, mas também as mecânicas do game. Enquanto em time você está mais focado no jogo em equipe e na comunicação, na solo queue você consegue se concentrar mais no seu jogo e desempenho.

O importante é aprender a usar os campeões e seus matchups e o comportamento dentro do jogo em diversas situações, seja prever um gank na top lane ou saber quando se pode dar aquela chamada para matar o baron. Essas coisas você não vai absorver direito nos treinos. Tem que ser a sua base de solo queue porque o seu foco será outro quando você jogar com a equipe. Todo esse aprendizado você levará para os scrims, onde poderá aperfeiçoá-lo, o que melhora sua base para o competitivo.

Ou seja, a qualidade da solo queue não é só importante para os cyber-atletas melhorarem, mas também para criar novos talentos e elevar o cenário. O motivo que nos leva a ver na Coreia do Sul e na Europa vários talentos é porque lá muitos jogadores levam as partidas ranqueadas mais a sério. E já que todo mundo dá o melhor de si para melhorar e ganhar, o nível da competição aumenta.

E assim era a solo queue dessas duas regões até pouco tempo atrás, já que hoje, por causa do novo sistema, a qualidade caiu. No sistema atual de preenchimento automático, para poder achar uma partida mais rápido, às vezes você entra em jogos nos quais seus adversários não estão no mesmo nível. Existe ainda a possibilidade de esperar horas para ter um jogo de 20 ou 30 minutos. Assim, até a quantidade de horas que você pratica diminui e você fica parado no seu nível ao invés de melhorar.

Na minha opinião, o melhor para a solo queue seria voltar para o sistema antigo - de solo e duo queue - porque ele providenciava qualidade nos jogos.

Sobre esse assunto, eu decidi perguntar a opinião de outros profissionais para termos uma ideia coletiva do cenário brasileiro de League of Legends. Falei com o treinador do CNB e-Sports Club, Thiago "Djokovic" Maia, o treinador e o Support do Operation Kino, Gabriel "Von" Barbosa e Matheus "Professor" Leirião, e o analista da equipe chilena do Kaos Latin Gamers (KLG), Rafael "RafaP" Pinheiro.

Você acha que a solo queue interna é realmente a melhor forma de treinar fora das scrims?
Djokovic: Realmente, a solo queue atual é bem pior do que a antiga para um treino competitivo. As mudanças no 6.11 ajudaram, mas ainda são inferiores do que a solo queue interna.

Von: Eu acho que está longe de ser o treino ideal porque ainda há muita falta de jogadores para todas as posições e em todos os jogos tem gente fora de sua função primária. Os jogos deveriam ser produtivos por terem apenas pessoas de alto nível. Mas, por causa da falta de jogadores, em certos jogos, alguns acabam "feedando hard". Boa parte dos games não é produtiva para ser levada como "forma de treino".

Professor: Sim, acho bem melhor porque os jogos são feitos mais rapidamente. Mas o principal é que a noção individual e coletiva de todos os jogadores é bem alta, logo, o jogo acaba sendo melhor em todos os aspectos.

RafaP: A solo queue in-houses é um conceito que a galera do Counter-Strike usa há muito tempo (os pugs ou mix). Ajuda, sim, a melhorar as mecânicas e a encontrar pessoas que vão segurar a onda de jogar contra os melhores.

Como você acha que isso vai afetar o cenário?
Djokovic: O nível dos jogadores que participam dessa solo queue interna só tende a aumentar, já que participam de partidas de nível mais elevado. No entanto, a solo queue tradicional não contará mais com esses jogadores, diminuindo o nível de jogo dela e tornando mais difícil o contato com o competitivo para as pessoas fora dele.

Von: Se mais gente aderir aos jogos personalizados, acredito que ficaria muito bom e a dynamic queue passaria a ser menos frequentada pelos pro players.

Professor: Acredito que, para quem está dentro, é muito benéfico, pois alavanca o nível dos jogadores que já estão no nível profissional. Por outro lado, para os amadores e semiprofissionais, é ruim porque terão menos contato com os jogadores mais experientes.

RafaP: Impacta positivamente, porque se treina mecânica de forma bem mais efetiva.

Qual seria a sua solução para o problema?
Djokovic: Acredito que a solução seria que as filas de Diamante 1 ao Challenger só pudessem ser acessadas em solo/duo. Isso aumentaria o nível de jogo, sem afetar toda a solo queue, tornando-a muito mais uma porta de entrada para o competitivo.

Von: Acredito que não há uma solução imediata a não ser voltar com a solo queue/duo queue. O problema é que desde o começo da temporada muita gente não deveria estar com elo alto, que subiu por conta da dynamic queue, e isso estragou bastante o ecossistema da maioria das partidas.

O que você acha que seria a solo queue perfeita?
Djokovic: A solo queue perfeita para o competitivo seria aquela em que se entra sozinho. Such skills!

Von: A solo queue perfeita é uma fila em que você entra sozinho ou com seu duo (para bot lane; ou mid e jungler; ou solo top e jungler; ou support e jungler) para ranquear com seu amigo/companheiro de time. Os jogadores iriam nas posições escolhidas e tal fila não demoraria tanto para achar as partidas pois teriam muitos jogadores bons participando.

Professor: Acho que a solo queue perfeita precisaria de ter duas coisas fundamentais: tempo de fila curto e as equipes estarem balanceadas em relação ao nível dos jogadores.

RafaP: duo e nada mais do que isso.

-

* Alexandre "DrPuppet" Weber é analista e auxiliar técnico. Ele é nascido no Brasil, mas mora na Alemanha desde os 9 anos. Treinou o Kaos Latin Gamers (KLG) e levou a equipe à decisão do International Wildcard na temporada passada. É colunista do MyCNB desde novembro de 2015. Escreve sobre League of Legends europeu e latino-americano nos dias 15 e 30 de todo mês.
Twitter | Facebook | Youtube


Veja também:


Tags: coluna do drpuppet, colunista15