Siga o MyCNB  
  • Menu
  • Notícias
  • AD Carry brTT faz balanço de 2014 e nega ter futuro definido

AD Carry brTT faz balanço de 2014 e nega ter futuro definido

Felipe "brTT" Gonçalves se define como um cyber-atleta inconformado e que se incomoda com a mesmice. Em busca de "novos ares", o AD Carry surpreendeu novamente, assim como fez quando saiu do paiN Gaming, e pediu para deixar a equipe de League of Legends do Keyd Stars, ainda sem rumo definido.

Ele garante, em entrevista exclusiva ao myCNB, que ainda não está acertado com nenhum time, apesar de já ter recebido propostas, "até de outro jogo". Em um momento conturbado da vida pessoal, por conta da recente morte do avô que o apoiou no início da carreira, brTT afirma que só deverá voltar a pensar em trabalho no ano que vem.

brtt-x5-mega-arena
brTT surpreendeu ao deixar o Keyd Stars para buscar novos desafio. Futuro ainda é indefinido

Sobre os rumores de que estaria retornando ao paiN, o jogador disse não ter sido contatado pela direção da organização que o deu destaque nacional. "Vou deixar todas as possibilidades em aberto e depois ver com minha agente qual a melhor decisão a tomar".

Na entrevista, brTT ainda fez um balanço do ano, relembrando as conquistas do Keyd e a surpreendente derrota na Semifinal da Final Regional Brasileira para a KaBuM. "Foi lamentável. Foi deprimente. Nadamos para morrer na praia", lamenta.

Leia também: Keyd perde brTT e volta a trazer coreanos para a line-up (clique aqui)
Leia também: Kami posta mensagem de despedida e indica saída de coreanos do paiN (clique aqui)
Leia também: brTT concorre ao prêmio de melhor AD Carry do ano no myCNB Awards (clique aqui)

Confira a entrevista, na íntegra:

O que te levou a tomar a decisão de sair do Keyd? Foi o mesmo motivo de quando deixou o paiN?
Não e sim. Como já falaram para vocês, tinham pequenas falhas da administração que acabaram se acumulando e me deixando cada vez mais incomodado. Já na paiN eu saí mais por não ter conforto e por me sentir sufocado. Mas algo que me motivou a sair dos dois times foi sentir que era hora de tentar algo novo, de que pelo menos naquele momento eu tinha cumprido meu dever. Eu odeio ficar na mesmice, me incomoda absurdamente.

E você tentou resolver esses problemas de alguma forma?
Sempre procurei informar a administração sobre tudo. Eles sempre foram cientes de tudo. Eu entendo que talvez tivessem prioridades ou não estavam tão preparados no momento para lidar com isso. Como eu disse, foram pequenas coisas que se acumularam, mas não teve nada grave.

Em que momento você tomou a decisão de sair?
Não lembro direito, mas não foi muito tempo antes de pedir para sair. Eu acho que na Comic Con foi quando comecei a pensar. Como disse, eu meio que me dou conta de quando eu cumpro o meu dever e de que já é a hora de ir para a próxima... Talvez por ter sido o último evento do ano, eu tenha começado a refletir sobre isso.

A mudança para a jungle era resultado dessa inquietação que você tinha?
Eu me divirto sendo o melhor. Dessa vez que eu quis ir para a jungle e da outra que quis ir para a top foram pelo mesmo motivo de sentir que eu tinha chegado em um nível limite (pelo menos no Brasil) como AD Carry e eu queria um desafio novo. Eu gosto dessa coisa de começar do zero e me dedicar 100% até alcançar alguém. Como ADC, neste ano o Lactea veio como uma meta para mim, de chegar ao mesmo nível dele, e acredito que no final do ano estávamos nesse mesmo nível. Eu tinha exata noção do que ele faria e ele tinha noção do que eu faria... Era um verdadeiro duelo. Só que o time da paiN como um todo estava melhor.

Mas pretende continuar como AD Carry ou vai mudar de role?
Pretendo continuar. Logo estarei em um time novo e terei todo o gás de novo. Com o coreano que a Keyd vai trazer, vai ser mais uma meta para cumprir, mais um coreano que vou querer bater e falar que foi fichinha, hahahaha. Respeito muito os jogadores da Coreia. É uma honra para mim poder jogar contra Lactea e agora Emperor. É uma honra poder aprender o máximo possível com eles.

Tem alguma coisa da qual você se arrepende da sua passagem pela Keyd?
Nada. Só ainda fico chocado por não termos levado aquele CBLoL. Conheci pessoas que antes não tinha tido a oportunidade de conhecer e que me surpreenderam. O Mylon eu pensei que seria alguém difícil de conviver e ele é um garoto incrível, tem uma personalidade forte e ficou como um irmão para mim... Era engraçado ele e a Caju [namorada de brTT] se provocando todo dia. O Loop foi o melhor suporte e o mais inteligente com quem já joguei até hoje. Sempre quis jogar com Takeshi e Revolta. Foi uma honra e são também pessoas incríveis, e nem se fala de Taejin e SuNo. Tem Shini, Rafes, Philip, que se tornou um gigantesco amigo, e os donos da Keyd... São tantas amizades que fiz e tantas conquistas juntos. Eu jamais vou me esquecer do quão importante eles fizeram esse ano ser para mim.

keyd-comic-con-experienc-campeao
Último campeonato de brTT pelo Keyd Stars foi a Arena Go4Gold, na Comic Con Experience

Pelo paiN você foi campeão brasileiro. Pelo Keyd você conquistou vários títulos este ano. Qual foi a temporada mais importante da sua carreira?
Foram conquistas que têm significados diferentes para mim. Ao mesmo tempo que não ganhamos o Campeonato Brasileiro, nós batemos o recorde de partidas invictas. Fomos o time mais vitorioso do ano. Nós vencemos o Circuito Brasileiro, um dos mais difíceis e cansativos do Brasil. Para mim, aquela final contra a paiN foi épica. Isso já valeu muito por esse ano. Tenho certeza que fizemos bonito e orgulhamos nosso público... Como também em 2013, a paiN me testou até o limite. Demos nosso sangue em todos os jogos. Não tem como eu escolher entre as duas temporadas.

O Keyd foi a melhor equipe de 2014 na sua opinião?
Na minha opinião, sim. Não foi à toa que éramos os favoritos no CBLoL e que os fãs exigiam tanto de nós. Eu tenho orgulho do que a Keyd foi em 2014.

Na época da eliminação do Keyd na Final Regional, o Philip disse que o time sentiu a pressão do favoritismo. Foi isso mesmo? O time entrou de salto alto contra a KaBuM?
Não de salto alto. A pressão de ter feito um bootcamp e de todos terem certeza de que vocês já ganharam o campeonato e todo mundo estar exigindo essa vitória de vocês, já que fomos o único time a fazer um bootcamp, isso tudo com toda a certeza mexeu com o nosso psicológico. O SuNo tinha fama de dar "tilti" em campeonatos importantes e acho que o fato de eles terem vindo para o Brasil especificamente para aquele campeonato deve ter feito voltar a dar isso nele naquele momento. Precisamos de psicólogos para os jogadores. Tenho certeza disso. Nós não somos capazes de lidar com toda essa pressão do público e até eu, que sou um dos jogadores mais experientes do cenário brasileiro, às vezes sou afetado por toda essa pressão e ansiedade.

Você sentiu a pressão naquela partida contra a KaBuM na Regional? O psicológico atrapalhou seu jogo?
Antes de começar o jogo eu estava tranquilo. Mas a partir do momento que começamos a perder o primeiro jogo, a pressão começou a me afetar... Acho que começou a afetar a todo mundo. Era algo do tipo "não pode estar acontecendo isso". Você fica cada vez mais nervoso e o time não consegue focar nos objetivos, não consegue focar nos erros... Só desanda. É até comum entre os jogadores ter um "dia ruim", aquele dia que você não está bem para jogar, você está só perdendo tudo, você não consegue manter o foco... Infelizmente a Keyd ficou sem ter um dia ruim o semestre inteiro... E foi ter logo no dia mais importante do ano. Para nós, isso foi lamentável. Foi deprimente. Nadamos para morrer na praia.

E qual foi a sensação depois daquele jogo? O que passou pela sua cabeça?
Senti vergonha. Senti que poderia ter feito melhor, e você fica imaginando tudo o que poderia ter feito de diferente no jogo. Felizmente tivemos o Loop sendo forte por todos nós. Ele falou umas palavras de apoio que nos deram uma animada. A organização nos levou para jantar no Outback para ver se nos animávamos mais um pouco. Sinceramente, o meu maior medo e imagino que seja o medo dos jogadores profissionais mais experientes é de decepcionar nossos fãs. Não tem melhor sensação de vencer um campeonato para ver os fãs felizes e orgulhosos de você e do seu trabalho, e não tem pior sensação do que perder um campeonato e não dar um motivo para eles se orgulharem, não dar um motivo para ter valido a pena toda aquela torcida deles.

brtt-final-regional-brasileira-sao-paulo-agencia-x5
brTT classifica eliminação na Final Regional como "lamentável" e "deprimente" (Foto: Agência X5)

O resultado da final te surpreendeu? A KaBuM te surpreendeu?
Na verdade, não. Fiquei feliz por eles, fiquei feliz por irem ao Mundial. Mas sinceramente não acho que era o melhor time para nos representar lá fora. Mereceram estar lá e foram melhores do que nós para estarem lá, mas, do fundo do coração e sem maldade alguma, eu acho que paiN e Keyd eram os times mais preparados e com mais experiência. Não tenho ideia de como nos sairíamos lá, talvez nem a Alliance tivéssemos vencido, nem a paiN... Talvez... Nunca vamos saber. Mas em questão de estar preparado, não acredito que a KaBuM estivesse tanto quanto Keyd e paiN.

E sobre o seu futuro? O que você planeja?
Por enquanto nada. No momento, eu quero curtir esse tempo e pensar na vida. Acabou de acontecer um ocorrido infeliz na minha família e vou ficar um pouco com ela.

Ainda não sabe para qual time vai? Tem gente falando no seu retorno ao paiN...
Não tem absolutamente nada no momento. Estou aberto para propostas. Já recebi propostas até de outro jogo... Vou deixar todas as possibilidades em aberto e depois ver com minha agente qual a melhor decisão a tomar.

Recebeu proposta do paiN?
No momento, não.

Nem conversa?
Ainda não, não fui ver nada ainda, sendo sincero. Prometi que ia ficar longe do computador e do trabalho até janeiro para namorada e para família. Assim que passarem as festas eu vou ver o que "está pegando". Ver sua mensagem [de pedido de entrevista] foi sorte, hahahaha. Eu não estou com pressa para nada.

Mas voltaria à paiN?
Voltar eu voltaria até para a Noobs da Net, dependendo da proposta, da conversa, do time.... Talvez eu veja um time gringo. Eu não estou me limitando a absolutamente nada.

keyd-brtt-liga-brasileira-porto-alegre
brTT garante que ainda não acertou com nenhuma outra equipe para a próxima temporada

Recebeu proposta de time gringo?
Hahahaha, não, ainda não vi nada disso. Fui hoje [quinta-feira] pegar minhas coisas na Keyd e vou ficar até sábado na casa da Caju para irmos para o Rio ver minha família. Estou passando por um momento delicado... Meu avô acabou de falecer. Eu me sinto um pouco arrependido de ter me afastado tanto dele e da minha família por conta do trabalho, então eu não estou pensando mesmo em trabalho, por enquanto.

É aquele avô que você falou na X5 Mega Arena?
Sim, esse mesmo. Ainda não caiu a ficha... Faleceu hoje [quinta-feira], eu ia para o Rio em dois dias para poder me despedir dele e não consegui. Estou tentando não pensar nisso.

Vamos encerrar logo isso, então. Conte-me o que você espera do futuro. Você já pensou em quando parar de jogar? Você está sempre se desafiando e não consegue ficar conformado em um lugar... Esse é motivo que pode te levar a parar?
Até hoje nenhuma decisão que eu tomei foi errada. Desde criar um time em menos de uma semana para disputar a Intel Extreme Masters e vencer, de entrar para a paiN, de sair da paiN e de entrar na Keyd... Tudo sempre deu certo, tudo isso fez eu estar onde estou hoje... Não acho que eu sou impulsivo, eu penso muito em tudo antes de tomar uma decisão para não correr o risco de errar. Futuramente mesmo eu pretendo fazer Administração para ajudar na Rexpeita, e sonho em, dependendo de como vão estar as coisas e eu espero que estejam indo muito bem, montar um time RX. Ser coach desse time, talvez. Não necessariamente de League of Legennds porque não sabemos como vão ser as coisas até lá e que jogo vai estar em alta... Mas eu acho que estou com meu futuro bem encaminhado.

E você planeja sua aposentadoria?
Nem penso nisso. Nego vai ter que me engolir ainda por muito tempo. E quanto mais acharem ruim, tenho certeza de que mais eu vou brilhar.


Veja também:


Tags: Keyd, pain, brtt