Siga o MyCNB  
  • Menu
  • Notícias
  • Mylon explica saída do Keyd Stars e faz críticas a sul-coreanos

Mylon explica saída do Keyd Stars e faz críticas a sul-coreanos

Descontentamento com a organização e desejo de dar novo gás à carreira levaram o Solo Top Matheus "Mylon" Borges a tomar a decisão mais difícil de sua vida e deixar o Keyd Stars, equipe de League of Legends que defendia há dois anos e três meses, para assinar com o paiN Gaming.

Ele revelou ao MyCNB que, ao receber o convite do paiN, não tinha a intenção de sair do Keyd, principalmente por conta da amizade com o Mid Laner Murilo "Takeshi" Alves, apesar de estar insatisfeito com a gerência da organização. Entretanto, decidiu aceitar a proposta por acreditar que teria mais chances de desenvolver seu jogo no rival.

"Eu senti que, neste momento, eu teria um gás muito maior se eu fosse para a paiN", disse, em entrevista exclusiva na XMA Mega Arena, em São Paulo, ressaltando que mais fatores pesaram na sua decisão. "Os outros motivos são diversos. Eles incluem problemas com a organização. Por exemplo, na Keyd basicamente tinham duas pessoas na staff. Na paiN tem mais de dez".

Mylon também acredita que não estava preparado para "construir um time novo tão perto do [Campeonato] Mundial". Para as vagas dos sul-coreanos Kang "Daydream" Kyung-min e Kim "Emperor" Jin-hyun, a organização acertou as contratações do Jungler Lucas "Krow" Rabaça e do AD Carry André "esA" Pavezzi, dois novatos no cenário competitivo. "Não é que eu não confiava nos novos jogadores. Só quero um time mais experiente".

mylon-pain-gaming-xma-mega-arena
Mylon estreou pelo paiN Gaming no torneio da XMA Mega Arena, que acontece em São Paulo

A saída de Mylon ficou acertada no último sábado (25), após uma conversa entre o cyber-atleta e o manager da organização, Renan "Philip" Philip. "Decidimos que seria melhor para ambos que eu saísse".

O Solo Top estreou na nova equipe com vitórias e ótimas atuações nesta sexta-feira (1º). Na XMA Mega Arena, o paiN derrotou justamente o Keyd Stars por 2 a 0 e se classificou para a Grande Final contra o INTZ.

"Eu estava certo. Na Keyd parecia que eu era só mais um jogador, não era o player em que todos confiavam. E na paiN estou voltando a ser aquele jogador em que todos confiam, e isso me faz sentir muito melhor", afirma Mylon, destacando que foi recebido com muito carinho na nova equipe e que ainda considera muito os antigos companheiros.

Clique aqui para ver a cobertura completa da XMA Mega Arena de League of Legends

Saída dos coreanos

Na entrevista, Mylon falou sobre a saída dos sul-coreanos do Keyd e confirmou as informações publicadas pelo MyCNB de que havia um clima ruim na equipe. "Foram provavelmente os meses mais infelizes de toda a minha vida", arrematou. "Eles tinham hábitos... a melhor palavra para descrever é desprezíveis", disse, salientando que os problemas eram in-game. "Não conseguíamos fazer um treino sem algum deles ter algum problema emocional".

Quando noticiou com exclusividade a saída de Daydream e Emperor, a Reportagem apurou que os dois tinham uma maneira negativa de reagir às derrotas, em treinos e campeonatos, o que prejudicava os desempenhos deles e do time. Os dois não só reclamavam com os companheiros, como se abatiam pelos resultados negativos. "Não era mal à derrota. Era mal a qualquer problema que viesse a calhar. Às vezes não tinha nenhum problema aparente. Eles só acordavam mal e tratavam os outros como merda, basicamente".

Daydream e Emperor procuraram o MyCNB, na época, para negar que tinham problemas de relacionamento com os companheiros. "Nós estamos saindo porque queremos voltar para o nosso país, só isso", afirmou Daydream, que preferiu não se pronunciar sobre os motivos que levaram a dupla a querer deixar o Brasil.


Veja também:


Tags: League of legends, pain gaming, mylon