Siga o MyCNB  
  • Menu
  • Notícias
  • Gamepólitan chega à 4ª edição e espera reunir 10 mil pessoas

Gamepólitan chega à 4ª edição e espera reunir 10 mil pessoas

Neste fim de semana, a 4ª edição do Gamepólitan está reunindo apaixonados por jogos eletrônicos no Centro de Convenções da Bahia, em Salvador. Com o slogan de maior feira de games do Nordeste, o evento tem diferentes opções para o público da região e espera atrair 10 mil pessoas, mesmo com a chuva que tem caído na capital baiana.

gamepolitan-publicoPúblico compareceu em grande número no primeiro dia da 4ª edição do Gamepólitan

O evento é dividido em três áreas: GP-Dev, destinada aos desenvolvedores de jogos, GP-Expo, dedicada aos expositores, e GP-Cup, onde acontecem os campeonatos de esportes eletrônicos.

Logo na entrada, o público se depara com as tradicionais lojinhas de produtos geek. Os estandes têm de tudo um pouco, desde chapéus temáticos a bonequinhos colecionáveis. Para os comerciantes, o evento é uma oportunidade valiosa de divulgação e, claro, uma renda a mais no final do mês. "É surpreendente. O mercado de games hoje é um dos que mais cresce junto com a cultura nerd. Nós resolvemos trazer nosso estande com itens de games e também da cultura pop em si. Está sendo bem proveitoso", disse o empresário Thiago Fernandes, de 30 anos, ao MyCNB, destacando a importância do Gamepólitan para quebrar o preconceito de que no Nordeste não há grandes eventos.

gamepolitan-lojasComerciantes aproveitam feira para divulgar lojas e faturar com os apaixonados por games

Há consoles espalhados pelo Centro de Convenções e uma arena free-to-play para que os visitantes possam se divertir gratuitamente. Diversos desenvolvedores de jogos escolheram o Gamepólitan para expor seus trabalhos e também divulgar a profissão para os que têm interesse em ingressar no mundo da criação de games.

"Nós formamos um coletivo de desenvolvedores, que foi inclusive do encontro que tivemos no último Gamepólitan, com ideia de incentivar a produção e fomentar o mercado", contou o sound designer Vicente Reis, de 25 anos, um dos membros da associação Binds, que levou games produzidos na região. Um espaço para palestras com personalidades do mundo dos games também é uma das opções da feira.

No fundo do Centro de Convenções há o espaço para as disputas de e-sports. Neste ano, são quatro modalidades: League of Legends, CrossFire, StarCraft II e Hearthstone. Além dos jogos de computador, duas arenas destinadas para campeonatos de console chamam atenção. Os jogos de cartas reais também tiveram um espaço destinado aos fãs da modalidade.

No League of Legends, ND eSportsSalvador EaglesSLK Gaming e Cloud Pombos disputarão o título. Os quatro times irão se enfrentar neste domingo (17) no sistema Single Elimination, ou seja, sem Upper e Lower, com as Semifinais sendo disputadas em md3 e a Grande Final em md5. Os jogos terão transmissão por stream, com narração de Tácio “Schaeppi” Silva e comentários de Diego "Lunacy" Oliveira. No CrossFire, dois times passaram por classificatório, Dai Dai Gaming e Gathers, e outros dois foram convidados, INTZ e Dexterity.

Já no jogo de cartas online da Blizzard Entertainment, o Hearthstone, oito cyber-atletas disputam o campeonato: Brn, LegolaS, Shinimuro, Seec, Jpvasku, SevenL, Trevo e Pin7o. No StarCraft II, também há oito jogadores classsificados.

Para o estudante João Paulo Carvalho, de 18 anos, diretor da equipe de League of Legends ND e-Sports, o Gamepólitan é de extrema importância para que as equipes locais possam conquistar destaque, não só no Nordeste, como no âmbito nacional. "É um evento que abre as portas para qualquer time do cenário baiano", ressaltou.

gamepolitan-publicoesportsVisitantes lotaram a arena destinada às competições dos jogos de computadores 

A história

O Gamepólitan surgiu a partir de outro evento, o Anipólian, festival de animes que existe desde 2006. Tudo começou com uma pequena salinha com videogames. O que antes era apena uma das atrações se tornou um evento a parte. Em 2012, o idealizador do Anipólitan, o designer gráfico Ricardo Silva, viu a necessidade de separar as duas feiras, dando independência ao Gamepólitan.

A primeira edição foi focada apenas em competições eletrônicas e aconteceu no prédio da escola Saga, com a participação de 400 pessoas. Em 2013, o evento cresceu de tamanho e se mudou para o Centro de Convenções da Bahia, já com o formato visto na edição deste ano, com competições, expositores, desenvolvedores e áreas free-to-play.

gamepolitan-publio3Com o crescimento, evento espera atrair mais de 10 mil pessoas na edição 2015 

De acordo com Ricardo, o objetivo é levar mais competições para o evento, inclusive uma etapa do Circuito Desafiante, que dá acesso à principal competição brasileira de League of Legends, o CBLoL. "Já temos um diálogo com o pessoal da Riot. Meu objetivo é trazer uma etapa do circuito para dentro do GP-Cup para poder oferecer ainda mais este tipo de experiência para o público".

Questionado sobre o posto de maior evento de games do Nordeste, Ricardo revelou que o slogan surgiu este ano após uma análise sobre o demais eventos realizados na região Norte e Nordeste. "Eu tenho essa vivência de que existem micro-eventos de jogos acontecendo, mas eventos de peso com este foco nos games não há na região Nordeste. Temos a Campus Party, que acontece em Recife, mas não é uma feira de jogos, é um evento de tecnologia. Nós temos outros eventos como SuperCon e Anima Recife, que são eventos de cultura pop enormes, mas não são apenas de jogos. O Gamepólitan tem esse diferencial, pois é um evento que fala sobre jogos e todas as esferas dos games", destacou.

* O jornalista Ricardo Set viajou a Salvador a convite da organização do Gamepólitan


Veja também:


Tags: gamepólitan