Siga o MyCNB  
  • Menu
  • Notícias
  • Equipe brasileira já venceu coreanos em torneio internacional em 2013

Equipe brasileira já venceu coreanos em torneio internacional em 2013

O paiN Gaming terá um duríssimo adversário na estreia do Campeonato Mundial de League of Legends de 2015: o KOO Tigers, da Coreia do Sul, país referência na modalidade. É preciso muito otimismo para acreditar na vitória de Felipe "brTT" Gonçalves e companhia, que é improvável, porém não impossível. Basta lembrar que uma equipe brasileira já venceu coreanos uma vez.

Foi em janeiro de 2013, na Intel Extreme Masters São Paulo, campeonato que contou com a participação de quatro times brasileiros e quatro estrangeiros. O Keyd Stars, que na época ainda se chamava Keyd Team, surpreendeu o mundo ao conquistar uma vitória histórica sobre o Incredible Miracle, da Coreia, na Fase de Grupos da competição, quando o cenário brasileiro começava a se desenvolver.

No início daquele ano, os times não tinham o profissionalismo de hoje e estavam muito longe do nível das equipes internacionais, ainda mais da Coreia do Sul, que teve o campeão mundial da temporada, o SK Telecom T1. "Não tinha nem como comparar. Eles eram muito mais profissionais", reconhece o ex-cyber-atleta Diogo "Volcan" Neves, Jungler do Keyd naquele torneio. "Porém, eu entrei para vencer e sempre tentei manter esse pensamento, mesmo quando estávamos muito atrás. Não queria fazer feio".

Como esperado, o Keyd começou perdendo o jogo e chegou a estar com 6 mil de ouro a menos, atrás também no número de abates. Entretanto, um roubo de barão, aos 19 minutos, realizado por Volcan, mostrou que os brasileiros poderiam superar os sul-coreanos. Outro roubo aos 27 minutos deu a certeza de que isso era possível.

"Nós tínhamos plena consciência de que eles eram melhores em todos os aspectos. Mas acho que vencemos em um desses aspectos: o psicológico. Quando começamos a virar o jogo, eles tomaram decisões cada vez mais erradas e nós soubemos aproveitar", afirma Volcan.

Depois de 48 minutos de partida, com o apoio da torcida na Campus Party, os brasileiros puderam comemorar o "incrível milagre" de derrotar o Incredible Miracle. "A primeira coisa que eu queria fazer era descer do palco e ver minha namorada. A segunda era olhar para a torcida e ver que aquele pessoal ali se orgulhou de ser brasileiro, nem que fosse por um instante. Sentimos que poderíamos inspirar outras pessoas a não desistir", conta o ex-Jungler.

Para Renan "Philip" Philip, coach do Keyd na ocasião e hoje diretor da organização, a torcida brasileira teve papel importante naquele confronto. "Lembro de pedirmos para a torcida gritar mais conosco, porque isso claramente estava afetando os coreanos e motivando nossos jogadores", relembra. "Era um grupo assistindo e-sport, mas gritando o clássico 'eu sou brasileiro, com muito orgulho, com muito amor'. Para alguém que já foi ao estádio assistir à seleção de futebol ou à de vôlei, ver um time do qual você participa sendo motivo de alguém cantar isso foi uma sensação única".

Ter perseverança e acreditar são as dicas que Volcan têm para dar ao paiN Gaming, que no Campeonato Mundial caiu no Grupo A e que, além de enfrentar o KOO Tigers, terá o Counter Logic Gaming (CLG), da América do Norte, e o Flash Wolves, de Taiwan, pela frente na Fase de Grupos. Serão dois confrontos md1 com cada um dos adversários.

"É possível a vitoria? Sim. Mas a cabeça tem que estar muito bem preparada. Quando entrarem para jogar, devem esquecer tudo o que tem lá fora e se concentrar só no jogo", recomenda Volcan.

Confiança

Philip acredita que, desta vez, se a vitória do paiN acontecer, não será um incrível milagre. "Desta vez é realidade e, se for acontecer, terá que ser do jeito difícil", destaca, salientando que os adversários irão se preocupar em estudar o paiN depois de a KaBuM ter surpreendido o Alliance, campeão europeu, no Campeonato Mundial do ano passado. Aliás, a equipe brasileira também enfrentou coreanos na Fase de Grupos, o NaJiN White, mas perdeu as duas séries.

Para Philip, o representante deste ano tem chances de encarar o KOO Tigers. "A paiN tem jogadores top de linha em todas as posições, que recentemente deram step-ups inimagináveis. Se bem preparados, realmente acho que podem vencer", confia.

Solo Top do Keyd que derrotou o IM e hoje defendendo o paiN, Matheus "Mylon" Borges afirma que a vitória em 2013 pode servir como motivação para o desafio contra o KOO. "Estamos tão confiantes como se fôssemos jogar contra qualquer outro time, tendo os estudado ao máximo e cientes o suficiente do que pode vir a acontecer nos jogos", pondera.

O confronto entre paiN e KOO será em 1º de outubro, às 16h30 (pelo horário de Brasília), em Paris, na França. O campeonato será disputado até o dia 31 e passará por outros três países da Europa. Os dois primeiros colocados de cada um dos quatro grupo avançarão para a Fase Eliminatória, com séries md5.

Clique aqui para ver os confrontos do paiN Gaming na Fase de Grupos do Campeonato Mundial de 2015



Veja também:


Tags: League of legends, pain gaming, philip, Incredible Miracle, KOO Tigers, lolwc2015, volcan, keyd team