Siga o MyCNB  


  • Menu
  • Notícias
  • Dono do INTZ indicou acordo com Riot e disse que INTZ.Red só mudaria de nome

Dono do INTZ indicou acordo com Riot e disse que INTZ.Red só mudaria de nome

O plano de manter a proximidade entre os times de League of Legends INTZ e INTZ.Red vinha sendo pensado desde meados do ano passado. É o que mostra uma mensagem de um dos donos do INTZ, Lucas Simon Almeida, à qual o MyCNB teve acesso.

Na conversa no Facebook, restrita a jogadores e membros da staff da INTZ.Red, o executivo disse que não venderia a equipe, que somente mudaria de nome em 2016. "Na verdade, vamos investir ainda mais em vocês e devemos apenas mudar de nome e colocar mais pessoas para ajudar na gestão", escreveu, em 21 de julho de 2015, às 23h42.

Na mensagem, o diretor do INTZ deu a entender que teve anuência da Riot Games Brasil para o negócio: "Criamos um plano com a Riot e não venderemos a equipe". Ele até afirma: "Podem ficar tranquilos que a final do ano que vem [2016] será INTZ x RED com outro nome".

conversa-intz-red-intz-redimensionado

Anunciado em 17 de dezembro, o RED Canids contratou os cyber-atletas do INTZ.Red para a temporada 2016. Entretanto, os investidores por trás da empresa eram um mistério, o que vinha incomodando os donos das outras equipes participantes do Campeonato Brasileiro (CBLoL). Nesta semana, veio à tona que os sócios do RED Canids são parentes dos donos do INTZ, o que, na teoria, não é irregular, mas expõe uma relação íntima entre as duas organizações.

Registrados como proprietários da Red Canids E-Sports Club Ltda., Dinara Guzairova é namorada de Lucas Simon Almeida, e Luan Rodrigo Florencio de Almeida é filho de Rogério "Formiga", conforme informações obtidas na Junta Comercial do Estado de São Paulo.

Quem é apresentado como diretor do RED Canids é Caique Henriques, que até a temporada passada trabalhava no marketing do INTZ, cuidando também das redes sociais da equipe. Ele ia ao estúdio do CBLoL para acompanhar os dois times do INTZ nos jogos.

Nesta temporada, passou a valer a regra, adotada pela Riot Games Brasil, que impede que uma organização tenha mais de uma equipe competindo no CBLoL.

lucas-caique-mycnb
Lucas, dono do INTZ (esq.), e Caique Henriques, diretor pelo RED Canids (Foto: MyCNB)

O imbróglio, revelado pelo MyCNB e pelo site Omelete, levou os diretores de cinco times ameaçarem não participar do 1º Split do CBLoL 2016 se a Riot não investigar e punir os envolvidos.

O MyCNB ligou durante toda a noite para os celulares de Lucas e do outro sócio do INTZ, Rogério "Formiga", mas ninguém atendeu. Mais cedo, Lucas afirmou que a organização agiu conforme as regras e ressaltou que a Riot Games aprovou a transação.

"É de nosso interesse sempre cooperar com a Riot e comunidade dos esportes eletrônicos para a evolução e o crescimento do nosso cenário no Brasil. E entendemos que as notícias geradas por conta desta transação comercial servirão para a Riot afinar ainda mais as regras já existentes", escreveu o executivo nas redes sociais.

A Reportagem entrou em contato também, por telefone, com o gerente sênior de e-sports da Riot Games Brasil, Fábio Massuda. Ele disse que não poderia falar, mas pediu que fosse enviado um e-mail.

Em resposta, por meio da assessoria de imprensa, a Riot Games afirmou desconhecer "qualquer informação de plano envolvendo a empresa. No entanto, ressalta que averiguará qualquer menção a respeito deste assunto".


Veja também:


Tags: League of legends, intz, intz red, red canids