Siga o MyCNB  
  • Menu
  • Notícias
  • Duelo de rebaixamento determina retorno do Big Gods ao Circuito Desafiante

Duelo de rebaixamento determina retorno do Big Gods ao Circuito Desafiante

O confronto de rebaixamento entre RED Canids e Big Gods é o segundo da história do Campeonato Brasileiro de League of Legends (CBLoL). Os times lutando contra a degola mudaram do 1º para o 2º Split, mas o clima no estúdio da Riot Games Brasil, em São Paulo, continuou o mesmo. Com clima pesado, houve risos de alegria de um lado e expressões de tristeza de outro ao fim do duelo, vencido pelo RED por 2 a 0.

Era tudo ou nada para ambos os times, que terminaram a Fase de Classificação do 2º Split nas 7ª e 8ª colocações e precisaram duelar para escapar do rebaixamento. Os dois receberam punições de perda de pontos antes mesmo do início da competição. O RED perdeu 6 e o Big Gods, 16.

O RED chegou ao duelo decisivo sob muita desconfiança, afinal de contas, a organização surpreendeu com Felipe "YoDa" Noronha na jungle e não se alinhou quanto ao defensor da top lane. No início da competição, a equipe inscreveu como titular o Support Márcio "Eryon" Reis, que só jogou uma partida e logo deu lugar ao reserva Marcelo "Ayel" Mello.

Ayel fez boas atuações, mas, segundo os companheiros, não estava bem entrosado com os demais integrantes da line-up. Em uma tentativa frustrada, o RED anunciou Daniel "Daniquest" Cerruti, que acabou banido por elojob menos de 15 minutos depois.

Para o "confronto da morte", a organização trouxe o estoniano Mauno "beansu" Tälli. Deu certo. O cyber-atleta, sem tanta fama internacional, jogou bem e ajudou o time a se livrar do rebaixamento, pelo menos por enquanto. O RED ainda jogará a Série de Promoção para se firmar na elite.

"Os top laners de fora, e principalmente da Europa, são muito bons e inteligentes. Mecanicamente, ele é igual a todo mundo, mas é muito inteligente em questão de lane, de gank e do que ele pode fazer para melhorar. E é isso que falta no Ayel, um pouco mais de ele saber o que precisa do jogo, o momento que ele pode tomar gank ou não. Tentamos trabalhar isso nele e estava dando certo, mas nosso desenvolvimento estava lento. Com a vinda do Beansu, com certeza, o Ayel vai melhorar, pegar o máximo de dicas, vai ajudar bastante", disse o Mid Laner Bruno "Brucer" Pereira ao MyCNB.

yoda-redcanids-7e8-2split2016-mycnbO sorriso de alívio de YoDa após o RED assegurar permanência no CBLoL (Foto: MyCNB)

Para quem achava que a comunicação seria um problema, os jogadores do RED mostraram o contrário. Nas primeiras conversas, antes da série, o idioma predominante foi o inglês. Beansu mostrou frieza e mais ouviu do que falou. Já YoDa não economizou palavras.

O Big Gods, que, se não tivesse tomado punição, teria terminado em 6º lugar e não estaria disputando este confronto, veio com a mesma formação que disputou a 1ª Fase inteira, mas, com um diferencial. Desta vez, a equipe teve de lidar com o peso da pressão, algo que os jogadores provavelmente não tiveram na Fase de Classificação, pois não tinham muito o que fazer para deixar a lanterna.

Assim como o RED, o Big Gods tinha um "gringo" a seu favor. O Jungler chileno Sebastián "Tierwulf" Mateluna chegou ao Brasil e causou polêmica ao falar que achava que o nível dos adversários de role do CBLoL fossem melhores. Ele recebeu criticas da comunidade, mas, com seu jeito carismático e algumas boas apresentações, conquistou espaço com a torcida.

tierwulf-biggods-7e8-2split2016-mycnbTierwulf disse que quer ficar no Brasil, mas não cravou futuro após queda (Foto: MyCNB)

"Todos temos futuro. Todos irão melhorar, nenhum jogador do time tinha jogado CBLoL, a organização da Big Gods é nova, vai aprender com a perda dos 16 pontos, acho que temos um futuro pela frente", contou Tierwulf, ressaltando que gostaria de ficar no Brasil, mas que ainda não sabe o que vai acontecer com a carreira.

Se o RED colocou o inglês em ação, no Big Gods, Tierwulf demonstrou que está afiado com o português, inclusive na entrevista ao MyCNB.

Derrotado por 2 a 0 na série, o Big Gods voltará ao Circuito Desafiante, a 2ª divisão do cenário brasileiro, em 2017. O time havia subido para a elite neste 2º Split, depois de ter sido campeão do Desafiante no 1º.

Bastidores

Não há outra palavra que descreva melhor este duelo decisivo: tensão. Antes da série, ambos os times mostravam confiança, conversaram, deram risadas e partiram para a guerra.

Na sala de jogadores, poucas pessoas das duas organizações marcaram presença, mas os dois principais responsáveis pelos dois times estavam lá. Felippe Corradini, dono do RED Canids, era o mais nervoso. Gritou e comemorou cada jogada. Danilo Salgueiro, gerente do Big Gods, acompanhou a série de maneira mais calma, sem comemorações.

Com o fim do confronto, veio o contraste do sorriso com o choro. O Mid Laner do Big Gods, Rafael "Rakin" Knittel, considerado o melhor jogador do time, não segurou as lágrimas de tristeza. Escondeu o rosto com o capuz do casaco e foi consolado pelo treinador João Pedro "Dionrray" Medeiros, que também chorou. Todos os cyber-atletas do time estavam abalados.

rakin-dionrray-biggods-7e8-2split2016-mycnbTreinador consolou Rakin (dir.) após derrota no duelo de rebaixamento (Foto: MyCNB)

Do outro lado, como já de se esperar, a alegria dos jogadores do RED Canids, que agora respiram aliviados. Diferentemente dos outros dias, os cyber-atletas ficaram mais tempo no estúdio e concederam entrevistas.


Veja também:


Tags: League of legends, Big Gods, cblol 2016, red canids