Siga o MyCNB  
  • Menu
  • Notícias
  • CS brasileiro vive seu melhor momento na história, dizem personalidades

CS brasileiro vive seu melhor momento na história, dizem personalidades

Com dois títulos mundiais, quatro equipes brasileiras morando e competindo no exterior e a exibição de campeonatos na televisão, o Brasil vive o melhor momento da história no cenário competitivo de Counter-Strike, na opinião de personalidades que vivenciaram a época de ouro do CS 1.6 e acompanham a fase atual do CS Global Offensive.

Hoje em dia, Alexandre "Gaules" Borba é empresário e um dos donos da arena MAX5, localizada em São Paulo, mas, para quem não sabe, foi um dos primeiros nomes de destaque na época em que o Counter-Strike começou a despontar em solo nacional, no início dos anos 2000. Ele defendeu os lendários times g3nerationX e Made in Brazil (mibr).

"Para mim, o CS brasileiro vive a melhor fase que tivemos em toda história, com certeza", opina Gaules. "Eu acredito que hoje esteja sendo colhido o fruto de uma dedicação de muitos e muitos anos dos brasileiros. Alguns dos jogadores que estão lá, como o fnx, fazem parte dessa primeira geração e muitos dos outros também foram inspirados, de certa forma, por essa primeira geração de ouro do CS brasileiro. Eles são nossos representantes hoje e estão nos enchendo de orgulho".

O primeiro bom momento do Counter-Strike brasileiro começou em 2006, quando o mibr, formado por Lincoln "fnx" Lau, Bruno "bruno" Ono, Carlos Henrique "KIKOOOO" Segal, Renato "nak" Nakano e Raphael "cogu" Camargo, levantou o troféu de campeão da Final Mundial da Electronic Sports World Cup (ESWC), na França. Como prêmio, a equipe faturou US$ 52 mil.

mibr-eswc2016-divulgacaoPrimeiro título mundial do Brasil foi na ESWC 2006 com o mibr (Foto: Divulgação)

Em 2007, o Brasil voltou a brilhar no cenário internacional. O mibr, já com Bruno "bit" Lima no lugar de KIKOOOO, conquistou o shgOpen, na Dinamarca, e a DreamHack Winter, na Suécia. Nesse último campeonato, a line-up era: fnx, bit, Thiago "BTT" Monteiro, Wellington "ton" Caruso e Olavo "cky" Napoleão. Nos três torneios estavam presentes os melhores times daquela época. No ano seguinte veio o título da GameGune, na Espanha, em torneio sem a participação dos times top1.

Depois disso, o Brasil não conseguiu se impor no cenário internacional diante dos melhores do mundo. O cenário esfriou até a chegada do CS:GO, cujo lançamento ocorreu em 21 de agosto em 2012. A modalidade demorou para engrenar no Brasil, com poucos times e campeonatos sendo realizados. No ano passado, cinco cyber-atletas brasileiros se aventuraram e se mudaram para os Estados Unidos. Foi o início de uma nova história sendo escrita.

Com a equipe comandada por Gabriel "FalleN" Toledo, o Brasil chegou ao posto mais alto do mundo. Só neste ano foram dois títulos mundiais - dos chamados majors -, no MLG Columbus, nos EUA, e na ESL One Cologne, na Alemanha. Nesses dois torneios a premiação chegou a US$ 1 milhão. FalleN, fnx, Fernando "fer" Alvarenga, Epitácio "TACO" de Melo e Marcelo "coldzera" David formam a melhor line-up do mundo na atualidade. Além desse dois títulos, o quinteto, que defende o SK Gaming, soma outros triunfos em torneios como a DreamHack Austin 2016 e 3ª temporada da ESL Pro League.

sk-gaming-eslonecologne2016-hltvBrasileiros já conquistaram dois títulos de major na temporada 2016 (Foto: HLTV.org)

Além deles, outros dez jogadores brasileiros estão morando nos Estados Unidos, defendendo o WinOut e o Immortals. Tem também o AlienTech.BR, equipe do Brasil que mora em Portugal.

Assim como Gaules, bit, que hoje joga pelo WinOut, dos EUA, cky, jogador do CNB e-Sports Club, e Alessandro "Apoka" Marcucci, treinador do WinOut, concordam que o País vive o melhor momento no jogo.

"Com certeza é o melhor momento do Counter-Strike na história do Brasil. Considerando todos os resultados, as premiações e o espaço que o e-sport vem conquistando durante os últimos anos, o cenário atual é definitivamente o melhor que já tivemos até hoje", afirma cky.

"Tudo evoluiu muito. Os times financeiramente estão melhores, os resultados estão aparecendo com bastante frequência, e não só focado em apenas um time, como no mibr, e mais oportunidades estão aparecendo com três times morando fora do Brasil, o que poucas vezes aconteceu no passado", destaca bit.

"Primeiro que são dois títulos mundiais em um curto espaço de tempo, segundo que temos duas equipes brasileiras entre os tops do mundo e oportunidades bem maiores para outras, como nós. O investimento e a projeção futura do jogo estão muito mais empolgantes do que na época do 1.6, e a chegada da TV, então, é para coroar a força do CS no Brasil e no mundo", ressalta Apoka.

Os narradores Willian "gORDOx" Lemos e Luis Felipe "Savage" Hessel disseram que são duas épocas distintas para serem comparadas, mas destacaram que o passado foi fundamental para que o nome do Brasil chegasse onde está hoje.

"São épocas diferentes, mas o alcance hoje é bem maior e, pela proporção, nunca existiu time tão vitorioso como a base do SK. Ser bicampeão mundial é um marco na história do e-sport brasileiro", opina gORDOx. "Aquelas conquistas de 2006 e 2007 foram importantíssimas para o nosso público e para nossos atletas que sempre seguiram aqueles exemplos vitoriosos", reforça Savage.

O jogo, que no passado era tido como violento e teve até a comercialização proibida no Brasil, hoje é visto com outros olhos. Prova disso é as emissoras SporTV e Esporte Interativo, no Brasil, transmitiram competições de CS:GO em horário nobre.


Veja também:


Tags: csgo, sk gaming, fallen, fnx, mibr