Siga o MyCNB  
  • Menu
  • Notícias
  • Riot Games Brasil anuncia novo gerente sênior de e-sports

Riot Games Brasil anuncia novo gerente sênior de e-sports

A Riot Games Brasil anunciou a contratação do executivo Leo Tang para o cargo de gerente sênior de esportes eletrônicos, que é responsável por comandar a organização dos campeonatos de League of Legends. Ele entra para substituir Fábio Massuda.

leo-tang-riot-games-brasil-menorSegundo o anúncio da desenvolvedora, Tang (foto ao lado) era country manager do aplicativo Easy Taxi no Brasil, depois de ter passado por operações na Ásia - em Hong Kong, Coreia do Sul e Taiwan. Ele trabalhou ainda como coordenador financeiro na Osram do Brasil, do grupo Siemens, e como gerente de vendas internacionais na LATAM Airlines. O executivo é formado em Administração e em Economia pela University of Northern Iowa e tem MBA pela The Fuqua School of Business, da Duke University, ambos nos Estados Unidos.

Conforme o release distribuído pela Riot à imprensa, Tang chega à empresa com o desafio de tornar o Campeonato Brasileiro (CBLoL) e o e-sport "amplamente aceitos pela cultura brasileira". "Tenho o grande desejo de fazer com que o brasileiro tenha tanta vontade de assistir a uma partida profissional de League of Legends quanto tem de assistir a uma partida de futebol, e que isso perdure por décadas".

Uma das primeiras novidades anunciadas sob a gestão dele é a transmissão de partidas da Fase de Classificação do CBLoL 2017 no SporTV.

Tang entra para o posto antes ocupado, desde junho de 2015, por Fábio Massuda, que enfrentou polêmicas que respingaram na reputação da Riot do Brasil. Em uma delas, em janeiro do ano passado, a imprensa revelou que os antigos donos do RED Canids eram parentes dos proprietários do INTZ, em uma infração indireta do regulamento que estabeleceu que uma empresa não pode controlar mais de uma equipe no CBLoL. Ainda que as duas organizações estivessem juridicamente dentro das regras, a relação familiar entre os quadros societários era eticamente questionável.

Na época, o gerente de e-sports da desenvolvedora, Philipe "PH Suman" Monteiro, até hoje na empresa, chegou a dizer que a situação era regular. Cinco times do CBLoL ameaçaram não participar do 1º Split se o caso não fosse investigado e os envolvidos, punidos. O MyCNB ainda revelaria uma conversa em que um dos donos do INTZ, Lucas Almeida, indicou ter existido um plano com consentimento da Riot para que o INTZ.Red não fosse efetivamente vendido, mas apenas mudasse de nome. A desenvolvedora negou qualquer plano com os intrépidos, suspendeu os quatro envolvidos e determinou a venda do RED Canids para outro executivo.

No dia seguinte ao anúncio da punição, Fábio Massuda fez um comunicado no fórum do League of Legends em que admitiu que a Riot errou em permitir a transação familiar de INTZ e RED Canids, pediu desculpas à comunidade e ainda disse que aquelas semanas haviam sido as mais difíceis de seus 15 anos de carreira.

Ele também esteve diretamente envolvido no caso de aliciamento do Support Caio "Loop" Almeida, que inclusive tem processo na Justiça em andamento.

A Riot não informou se Massuda pediu para sair da empresa ou foi demitido.


Veja também:


Tags: League of legends, riot games brasil, fábio massuda, leo tang