Siga o MyCNB  
  • Menu
  • Notícias
  • O que aprendemos no Mid-Season Invitational 2017 de LoL

O que aprendemos no Mid-Season Invitational 2017 de LoL

O Mid-Season Invitational (MSI) 2017 de League of Legends nos mostrou muito sobre o cenário brasileiro, o domínio da Coreia do Sul e as surpresas que podem acontecer. O evento, realizado pela primeira vez no Brasil, reuniu 13 equipes, as campeãs de suas competições regionais, e terminou com a vitória do SK Telecom T1.

Confira o que aprendemos sobre o cenário competitivo neste MSI:

O Brasil continua longe de ser o melhor do Wildcard

Para uma região que se autoproclama a melhor entre os cenários do Wildcard, nada menos do que vitórias sobre todos os outros times importaria. Mas o Brasil continua tendo dificuldades no cenário internacional. O RED Canids não passou da 1ª Rodada da Fase de Entrada, frustrando as expectativas de especialistas e comunidade. Não há demérito em perder para outras equipes, que também treinam e se dedicam para vencer. Mas, das duas, uma: ou buscamos ser, de fato, a melhor região entre os emergentes ou admitimos que não somos e paramos de nos enganar. A verdade é que os times do Brasil são tão bons quanto os da Comunidade dos Estados Independentes, da Turquia e, agora, ao que parece, do Vietnã. Não melhores. Deixando os fracassos recentes de lado, até mesmo nos triunfos o Brasil sofreu. Basta lembrar da vitória suada por 3 a 2 do INTZ contra o Dark Passage no International Wildcard Qualifier (IWCQ) do ano passado. Neste MSI, o RED só chamou para a realidade os nacionalistas utópicos. Nos próximos embates com emergentes, devemos calçar as sandálias da humildade.

brtt-msi2017-eliminacao-riotgamesRED Canids não conseguiu passar da 1ª Rodada do MSI 2017 (Foto: Riot Games)

Marines mostrou que é possível surpreender

Perguntado por um jornalista brasileiro o que representava a ótima campanha do Marines Esports na Fase de Entrada para o cenário do Vietnã, o técnico da equipe sensação do MSI 2017, Dương "Tinikun" Thanh, agradeceu a pergunta antes de respondê-la. Parecia ter apreciado a oportunidade de falar para o mundo as dificuldades que o time enfrentou: falta de estrutura, poucos patrocinadores e salários baixos. O Marines saiu do Vietnã e chegou ao Brasil desacreditado, ofuscado por um grupo que tinha Virtus.pro e Lyon Gaming como favoritos. Olhando o retrospecto, era compreensível a desconfiança. No International Wildcard Qualifier, o representante do GPL, o Saigon Jokers, perdeu as sete partidas que disputou. O fiasco do ano passado, aliás, levou à formação do Marines, como contou o treinador na mesma entrevista coletiva à imprensa brasileira.

Os vietnamitas tiveram cinco vitórias em cinco jogos na 1ª Rodada da Fase de Entrada, quase derrotaram o poderoso Team SoloMid (TSM), da América do Norte, na 2ª Rodada, se classificaram para o evento principal e fizeram bons jogos, ainda que caóticos, na Fase de Grupos. Foram três vitórias em dez partidas. Nada mal para uma equipe que não era cotada para passar nem de sua chave entre os cenários emergentes. 

O Marines chamou a atenção do cenário internacional e até fez um badalado Ask Me Anything no fórum Reddit, com mais de 1 mil comentários. Talvez agora, com os holofotes virados para o Vietnã, depois que o Marines provou que é possível surpreender com pouca estrutura, Tinikun tenha o apoio que os vietnamitas mostraram que merecem.

marines-dia1-rio-msi2017-riotMarines Esports foi a grande sensação e surpresa do MSI 2017 (Foto: Riot Games)

América do Norte merece disputar vagas com os times de Wildcard

Sempre cercados de muita expectativa, os times norte-americanos sempre decepcionam em competições internacionais. Foi assim também no MSI 2017. No campeonato deste ano, que estreou novo formato, com a participação de equipes de todos os cenários competitivos, o Team SoloMid entrou na Fase de Entrada, destinada aos times das regiões emergentes. Søren "Bjergsen" Bjerg e companhia começaram na 2ª Rodada e passaram sufoco. Diante do Marines, a equipe quase não conseguiu avançar. Começou perdendo a série md5 por 2 a 0, mas conseguiu virar para 3 a 2 e se livrou de uma derrota vexatória. Contudo, no evento principal, o TSM não teve bom desempenho e, quando lutou pela quarta vaga nas Semifinais em confronto desempate, perdeu para o Flash Wolves, outro time que disputou a Fase de Entrada. Ou seja, o time norte-americano só foi melhor - e pouco melhor, bem pouco - do que as equipes de Wildcard. Por isso, a América do Norte merece, neste formato de torneio, continuar disputando com os representantes de cenários emergentes antes de se colocar entre os grandes,

LMS é o cenário com maior potencial

Em 2016, o Flash Wolves chegou à Semifinal do MSI e tirou a Europa do seed 1 do Mundial. Em 2017, a equipe de Taiwan repetiu a façanha, desta vez rebaixando a América do Norte de seed. Os dois anos mostram - e o bom desempenho no torneio de 2017 também - que a LMS é o cenário com maior potencial. Se ainda não é possível desbancar o poderoso SK Telecom T1, já que o Flash Wolves perdeu sem oferecer maiores riscos para os sul-coreanos na Semifinal, dá para dizer que a região já está entre as melhores do cenário internacional.  

Melhor do MSI, Peanut pode se tornar o melhor jogador do mundo

Han "Peanut" Wang-ho é só sorriso, não apenas pelo gigantesco carisma, mas também pela ótima fase, a melhor da ainda curta e promissora carreira. O Jungler sul-coreano se destacou no ROX Tigers, com o qual conquistou o título da LCK Summer 2016 e chegou às Semifinais do Campeonato Mundial de 2016, perdendo justamente para o SK Telecom T1, time que hoje representa. Ele entrou para a equipe do Mid Laner Lee "Faker" Sang-hyeok nesta temporada e teve início bem discreto, para não dizer ruim. Mas, com o passar do tempo, se soltou e começou a ter atuações convincentes. Neste MSI, chegou ao topo de sua performance. Em uma das partidas contra o Marines, de Lee Sin, Peanut acumulou 14 abates em 12 minutos. Um feito histórico. Ele puxou para si os holofotes destinados a Faker, o principal cyber-atleta de LoL do mundo, e passou a ser considerado o melhor jogador do MSI. No time do astro maior da modalidade, Peanut se mostrou, se provou e deixou claro que pode chegar ao topo.

peanut-faker-abraco-msi2017-final-riotPeanut (esq.) ao lado de Faker, considerado o melhor do mundo na história (Foto: Riot Games)

SK Telecom T1 é muito mais do que Faker

A tentativa do G2 Esports, da Europa, de anular Faker na final só provou por que o SK Telecom T1 é uma ótima equipe, mesmo com seu principal astro apagado. Na primeira partida, quando Faker tinha quatro mortes, o G2 possuía apenas 2 mil de ouro de vantagem. Em uma luta vencida, com o AD Carry Bae "Bang" Jun-sik e o Jungler Peanut brilhando, o SKT1 capitalizou objetivos, virou e abriu 4 mil de ouro sobre os adversários. O Support Lee "Wolf" Jae-wan também teve excelente performance, principalmente no quarto jogo da série md5 vencida por 3 a 1 pelo time coreano. Faker não teve bom desempenho, apenas regular, mas, mesmo assim, o SKT1 dominou o confronto e conquistou o título mais uma vez.

G2 Esports superou fiascos 

O G2 Esports vem dominando o cenário europeu desde o inicio do ano passado. Foi campeão das LCS Europe Spring 2016, LCS Europe Summer 2016 e LCS Europe Spring 2017. Mas, nos dois torneios internacionais para os quais se classificou na temporada passada, o time decepcionou. No MSI 2016, os europeus ficaram na 5ª colocação, entre seis participantes, e não avançaram para a Fase Eliminatória. Naquela época, o G2 era cotado para estar entre os primeiros colocados e até apontado como capaz de derrotar o poderoso SKT1. No Campeonato Mundial, o G2 teve resultado ainda pior: última colocação do Grupo A, com apenas uma vitória em seis partidas.

Neste MSI, quando havia maior expectativa sobre o TSM e não sobre o G2, o time europeu - com três modificações em relação ao elenco de 2016 - surpreendeu e, depois de passar pela Fase de Classificação com quatro vitórias em dez partidas, chegou à final contra o SKT1, colocando a Europa pela primeira vez em uma decisão desde 2011. Na final, conseguiu assustar a equipe sul-coreana, inclusive com uma vitória na segunda partida da série md5. Com excelentes atuações do Mid Laner croata Luka "PerkZ" Perković, o G2 brilhou e apagou as más impressões deixadas pelas participações internacionais do ano passado. O time passa agora a ser considerado um top do cenário mundial, mas precisará se provar no World Championship 2017.

Team WE deixa dúvida sobre China

Historicamente, a China é a segunda região mais forte no League of Legends, atrás apenas da Coreia do Sul. Mas o MSI 2017 plantou uma dúvida: será que continua assim? O representante chinês, o Team WE, perdeu para os europeus do G2 na Semifinal. Assim, pelo segundo ano consecutivo, a China não chegou a uma decisão de MSI. Em campeonatos mundiais, também já são dois anos de ausência - 2015 e 2016. Pode até ser que a China esteja perto do mesmo posto que ocupa há tempos no cenário internacional, mas equipes de outros cenários estão muito mais próximas, prontas para assumirem o lugar e se aproximarem da Coreia. O G2 é a prova disso.

Torcida brasileira é a melhor

O MSI 2017 ficou bem longe de ser sucesso de público. No Rio de Janeiro, os jogos da Fase de Grupos aconteceram com arquibancadas esvaziadas na Jeunesse Arena. Foi um fiasco. Tanto que a Riot Games fez promoções de até 90% no preço das entradas e teve de diminuir o valor dos ingressos para a Fase Eliminatória, após admitir que errou no cálculo do alto preço estipulado inicialmente. Mas até mesmo nos momentos que a plateia tinha mais lugares vazios do que ocupados, os torcedores fizeram sua parte. Em São Paulo, empurraram o RED Canids, mas apoiaram todos os times Wildcard, com especial carinho pelo Marines Esports, sensação do campeonato. No Rio de Janeiro, apoio também para todas as equipes. Na final, os brasileiros torceram pelo azarão G2 no difícill confronto contra o SKT1. Em todas as entrevistas, os jogadores estrangeiros se derretiam pela torcida local e, no fórum internacional Reddit, membros da comunidade internacional também fizeram muitos elogios à energia brasileira no MSI. Elogios merecidos aos torcedores que, mesmo sem equipe brasileira para torcer no Rio, fizeram bonito. "Eles entregaram um bonito show", resumiu um usuário do Reddit.

torcida-msi2017-final-riotTorcida brasileira deu show de animação durante todo o torneio (Foto: Riot Games)

Clique aqui para ver a cobertura completa do Mid-Season Invitational 2017


Veja também:


Tags: League of legends, sk telecom t1, team we, team solomid, faker, lms, flash wolves, red canids, g2 esports, peanut, msi 2017, marines esports, jeunesse arena