Siga o MyCNB  


  • Menu
  • Notícias
  • Atletas do MSI opinam sobre domínio dos sul-coreanos no LoL

Atletas do MSI opinam sobre domínio dos sul-coreanos no LoL

O representante da Coreia do Sul, SK Telecom T1, é o time a ser batido no Mid-Season Invitational (MSI) 2017. E não é de hoje que a terra do Mid Laner Lee "Faker" Sang-hyeo é a maior referência mundial no League of Legends, com quatro títulos entre os seis campeonatos mundiais realizados até hoje. Mas, por que os times sul-coreanos estão tão acima dos demais? Para os participantes do MSI, entrevistados pelo MyCNB, a dedicação e o treinamento são os diferenciais das equipes da Coreia.

"Eu acho que a principal diferença é a quantidade de prática que os jogadores conseguem colocar no jogo. Por exemplo: na solo queue coreana, vencer e treinar é tudo, mas, na solo queue europeia, eu acho que não é tão significativo, porque não levam muito a sério. E o 'mindset' dos jogadores é diferente. Na Coreia, cada jogador treina para ser o melhor. Na Europa, eu vejo que alguns jogadores não levam o treino tão a sério quanto os coreanos", comparou o Top Laner sul-coreano Ki "Expect" Dae-han, que atua no G2 Esports, da Europa.

Leia também: "Crescemos jogando e somos muito competitivos", explica Bang (clique aqui)

Quando o assunto é título mundial, a Coreia do Sul lidera disparada. Dos cinco World Championships com participação de times daquela região, quatro foram vencidos por sul-coreanos, sendo três vezes pelo SK Telecom T1 - 2013, 2015 e 2016. O Samsung White levantou o troféu em 2014. O primeiro mundial aconteceu em 2011, sem participação de equipes coreanas, e teve o fnatic, da Europa, como campeão. Já em 2012, o Taipei Assassins, de Taiwan, conquistou a 1ª colocação.

Depois da Coreia, a China é considerada a região de maior impacto no cenário internacional. No MSI, o Team World Elite é o representante chinês e, junto com o Flash Wolves, de Taiwan, conseguiu vencer uma partida do SKT1, que é o principal candidato ao título. O time de Faker triunfou em oito das dez partidas na Fase de Grupos.

"O estilo de treino dos coreanos é muito rigoroso, os treinadores são muito exigentes e os jogadores treinam muito, muito duro. Isso é diferente das outras regiões. Eles são muito unidos para jogar por um objetivo", destacou o Jungler do Team WE, Xiang "Condi" Ren-Jie.

condi-mao-faker-msi2017-riotgamesCondi teve o prazer de vencer o SKT1 em um dos duelos (Foto: Riot Games)

O AD Carry do Flash Wolves, Lu "Betty" Yu-Hung, que também sentiu o gosto especial de derrotar o SKT1 no MSI 2017, exaltou a dedicação dos sul-coreanos. "Eles praticam muito, também analisam e pesquisam cada campeão muito detalhadamente, então conseguem absorver o que há de melhor no meta em cada patch".

Esta edição do MSI teve como sensação o Marines Esports, time do Vietnã que surpreendeu e apresentou bons jogos diante das demais regiões, que, teoricamente, são consideradas superiores. Para o Support Trần "Archie" Minh Nhựt, "os coaches da Coreia do Sul são muito bons e os jogadores têm respeito e autoestima muito grandes, porque toda a cultura do país apoia". "Eles também têm muita disciplina e treinam como loucos".

Neste MSI, o Team SoloMid (TSM) desapontou e não conseguiu passar para a Fase Eliminatória. O time ficou em 5º lugar na Fase de Grupos, encerrada no último domingo (14). O Support da equipe norte-americana, o chinês Vincent "Biofrost" Wang, disse que a hegemonia dos coreanos pode estar atrelada aos treinos intensos, mas acredita que há algo a mais que é um "mistério". "Os jogadores coreanos são muito bons no geral, mas, se nós soubéssemos o que os faz tão bons, nós simplesmente copiaríamos e tentaríamos ser tão bons quanto eles, mas claramente não é o caso. Eles estão definitivamente um patamar acima do resto, exceto pela China. Pode ser que seja o treino duro".

bang-faker-wolf-luz-msi2017-riotSK Telecom T1 é o grande nome do torneio de meio de temporada (Foto: Riot Games)

Mais eventos internacionais

Se a Coreia do Sul está tão à frente, o que falta para que os times de outros cenários consigam, um dia, jogar de igual para igual com os coreanos?

"Se tivéssemos mais competições internacionais, seria mais fácil para outras regiões se aproximarem do nível coreano. Mas, infelizmente, este não é o caso. Com a infraestrutura e o sistema coreanos, eles melhoram muito entre si. As outras regiões buscam ficar tão boas quanto eles, mas não conseguem fazê-lo com a mesma velocidade. Eles estão sempre inovando e melhorando. Eles parecem estar sempre um passo à frente", opinou o Support do G2, o espanhol Alfonso "mithy" Aguirre.

Para o Support do Flash Wolves, Hu "SwordArt" Shuo-Jie, mais torneios internacionais também seriam uma ótima solução. "Neste torneio [MSI] nós conseguimos aprender muito com o SK Telecom T1. Tanto habilidades mecânicas, como também estilos de jogo". O companheiro dele de rota, Betty, disse que mais eventos internacionais fariam com que o meta ficasse mais próximo, o que poderia deixar os níveis mais parelhos.


Veja também:


Tags: League of legends, team we, team solomid, skt telecom t1, flash wolves, g2 esports, msi 2017, marines esports