Siga o MyCNB  
  • Menu
  • Notícias
  • Dono do INTZ procurou treinadores para o Team One após venda

Dono do INTZ procurou treinadores para o Team One após venda

Depois da venda da equipe de League of Legends do INTZ Genesis para o Team One, um dos donos do INTZ, Lucas Almeida, procurou treinadores estrangeiros para os dois times, dizendo ser dono de ambos, em mensagens às quais o MyCNB teve acesso, com exclusividade. De acordo com a Riot Games, "integrantes de um time não podem ter qualquer tipo de influência em outra equipe".

Com o acesso do INTZ Genesis para o Campeonato Brasileiro (CBLoL), a organização INTZ precisou se desfazer de um dos dois times, conforme exige o regulamento da competição.

No mesmo dia em que a organização anunciou a venda do Genesis, em 28 de abril, Lucas enviou mensagem em um chat de Skype com treinadores estrangeiros informando ser dono de duas equipes (INTZ e INTZ Genesis). "Temos dois times e estamos contratando", escreveu.

No dia 9 deste mês, o empresário voltou a mandar mensagem no mesmo chat reforçando a procura por profissionais. "Nós temos dois times no CBLoL (INTZ + Genesis) e estamos contratando treinadores, assistentes e analistas. Me adicione se tiver interesse. Se autorizado por vocês, nós vamos enviar o 'scouting' para outros cinco times brasileiros". Esta mensagem foi apagada do chat na última segunda-feira (15).

lucas-chat1Depois de vender equipe, dono do INTZ procurou coach para INTZ Genesis (Foto: Reprodução)

lucas-chat2Posteriormente, mensagem em chat com treinadores foi apagada (Foto: Reprodução)

Procurado pela Reportagem, Lucas Almeida disse, por meio da assessoria, que "está fazendo um levantamento de opções de treinadores e analistas para contratar para o seu próprio time desde 28 de abril" e que "apenas se disponibilizou a ajudar o dono da Team One, liberando acesso aos resultados dessa pesquisa. Por conta do aceite, as mensagens trocadas falavam de uma busca de profissionais para dois times. Inclusive, essa pesquisa conduzida pelo INTZ também será disponibilizada para outros clubes que solicitarem". Ele reiterou "que não possui mais nenhuma relação direta com os atletas ou vaga da Team One e que essa troca de informações e experiências é comum entre clubes associados à ABCDE".

Dono do Team One, Alexandre Peres, disse que, quando a transação foi efetuada, por não conhecer bem o mercado de League of Legends, já que veio do Counter-Strike Global Offensive, ficou aberto a sugestões de nomes. Ele negou ter qualquer vínculo com o INTZ.

"Eu não posso falar por ele, mas por mim ele não negocia nada. Ele não tem autonomia nem autorização de negociar por nós. É claro que ele tem total liberdade de achar um bom nome no mercado e me falar para que eu negocie, mas ele não tem nossa autorização por negociar por nós, não", destacou Alexandre.

De acordo com o regulamento do CBLoL, "integrantes de um time não podem ter qualquer tipo de influência em outra equipe. Qualquer ação que vá contra essas regras tem de ser investigada internamente pela Riot Games", respondeu a desenvolvedora ao ser questionada pelo MyCNB se o dono de um time pode atuar como representante de outro para procurar treinador.

No primeiro questionamento sobre a procura do diretor do INTZ por treinadores para os dois times, a Riot respondeu que "indicações de profissionais são atividades comuns dentro do ecossistema do e-sport" e lembrou do regulamento da competição. "Segundo regulamento do CBLoL (item 3.5), cada organização deve manter uma única equipe em cada competição. Para garantir que o regulamento seja seguido de forma integral, documentos são enviados pelas equipes e aprovados pela Riot Games antes do início de cada temporada. Incoerências com termos do regulamento são investigadas internamente pela Riot Games".

lucas-almeida-intz-abcde-divulgacaoLucas Almeida procurou treinadores para Team One após a venda (Foto: Divulgação)

Segundo a assessoria de imprensa do INTZ, foi firmado um acordo para que os jogadores, agora do Team One, continuassem na gaming house que já estavam quando defendiam o INTZ Genesis, de propriedade do INTZ. A Riot confirmou e aprovou a permanência até 1º de junho.

"Bem como já ocorreu em outras situações, em temporadas passadas, a Riot Games autorizou a realização de treinos do Team One na gaming house da INTZ. Trata-se de uma situação paliativa, visto que o novo dono da equipe é de outro estado do Brasil. Para garantir a rotina de treinos às vésperas do CBLoL, que acontece em São Paulo, o treinamento nesse local foi autorizado até 01/06/2017, conforme acordado entre Riot Games e equipes no ato da aprovação da aquisição do time INTZ Genesis", confirmou a desenvolvedora.

Transação

Conforme apurou o MyCNB, uma das cláusulas do contrato na negociação estabelece o seguinte: caso o Team One seja rebaixado já no 2º Split, o INTZ terá de dar um desconto no valor da venda, caso contrário, o Team One pagará o valor integral.

Questionada pela Reportagem se o fato de Almeida se mobilizar para ajudar o Team One na elite como forma de garantir o valor integral da venda não concretiza conflito de interesse, a Riot respondeu apenas que "qualquer quebra no regulamento, uma vez reportada, será investigada pela Riot Games". A Reportagem voltou a repetir a pergunta à assessoria da desenvolvedora, mas não obteve resposta até a publicação desta matéria.

Por meio da assessoria de imprensa, o INTZ se pronunciou: "As condições que constam no contrato são sigilosas e protegidas por termos de confidencialidade. Então, o INTZ não irá comentar nada sobre o assunto. Tudo o que está escrito no acordo foi homologado pela Riot".


Veja também:


Tags: League of legends, intz, cblol 2017, lucas almeida, team one