Siga o MyCNB  
  • Menu
  • Notícias
  • KaBuM volta a ter gaming house após polêmica com hostel

KaBuM volta a ter gaming house após polêmica com hostel

Depois da polêmica com o hostel no 1º Split do Campeonato Brasileiro de League of Legends (CBLoL) 2017, a KaBuM voltou a ter uma gaming house própria, em Limeira, interior de São Paulo. O time da organização disputará, a partir de segunda-feira (5), o Circuito Desafiante, o torneio de 2ª divisão do cenário nacional.

O novo centro de treinamento, onde os cyber-atletas praticam e moram, fica em um apartamento próximo à região central de Limeira, cidade-sede da empresa de e-commerce, que entrou para o LoL em 2013. O local não é o mesmo utilizado em 2016 pelos antigos jogadores, mas, segundo o diretor de e-sports da KaBuM, Guilherme Fonte, "possui uma localização mais estratégica, próxima dos principais pontos da cidade e com prioridade em segurança e atendimento".

Conforme o executivo, a nova casa comporta seis jogadores e membros da comissão técnica e tem espaço para treinamentos, refeições, quartos e banheiros "suficientes para todos", salientou Guilherme. O ambiente para treinos é climatizado.

É uma estrutura muito diferente da oferecida aos jogadores que defenderam a organização no 1º Split do CBLoL 2017. Os membros da equipe ficaram em um hostel em São Paulo, onde tinham de dormir todos em um mesmo quarto e treinar em uma sala sem ar-condicionado. O estabelecimento sofria quedas constantes de energia e internet, o que prejudicava os treinamentos. Tudo isso veio à tona após denúncia pública do Mid Laner Guilherme "Vash" Del Buono, que, por conta dos problemas, pediu desligamento após a 5ª Rodada da Fase de Classificação. O ex-técnico Vinicius "Neki" Ghilardi acabou demitido por corroborar as críticas em entrevista à imprensa.

Isso aconteceu, segundo a KaBuM, porque a organização teve pouco tempo para se organizar após o rompimento da parceria com a Ilha da Macacada, duas semanas antes do início do CBLoL, e pelo desejo dos jogadores de morarem em São Paulo, onde acontecem os jogos do campeonato. De Limeira a São Paulo, o trajeto dura cerca de duas horas, uma viagem desgastante para ser feita todo fim de semana e em dias de gravação.

Depois da repercussão negativa do caso, a KaBuM colocou parte dos jogadores em um hotel (os moradores de São Paulo dormiam em casa) e passou a utilizar o estúdio da Riot Games Brasil para os treinamentos. O time perdeu na Série de Promoção para o ProGaming e-Sports e caiu para a 2ª divisão.

A KaBuM chegou a, na reta final do campeonato, conseguir um imóvel para gaming house em São Paulo. Ele, entretanto, acabou sendo deixado de lado para o retorno da organização à Limeira. "A estrutura em São Paulo estava semipronta. Faltava apenas a liberação de documentos imobiliários para montarmos a estrutura por lá. No entanto, em reunião feita com a equipe, os próprios jogadores disseram que preferiam a estrutura em Limeira", explicou Guilherme.

kabum-nova-gaming-house-limeira-divulgacao
Jogadores da KaBuM já estão na nova gaming house, em Limeira (Foto: Divulgação/KaBuM)

Segundo o diretor, a preferência por Limeira é em razão da sede principal da KaBuM ser localizada lá. "Com isso, temos maior facilidade de estrutura e para atender todas as necessidades com rapidez, inclusive emergenciais. É uma questão estratégica, temos uma equipe enorme em Limeira", disse Guilherme, negando que tenha sido um erro atender à reivindicação da antiga equipe para sair de Limeira.

Uma vantagem é que as partidas da Fase de Classificação do Circuito Desafiante são disputadas pela internet. Só a Fase Eliminatória será presencial, mas no Rio de Janeiro.

O executivo admite que uma gaming house bem estruturada faz a diferença nas performances de uma equipe. "Eu acredito que contribui e muito dentro de um contexto que envolve união, disposição dos jogadores e bom relacionamento da equipe com a organização. Ter bons equipamentos, com uma equipe unida e bem gerida, é algo que consideramos muito importante para o sucesso do novo projeto. Estamos nos empenhamo ao máximo para trazer bons resultados e garantir o acesso".

Dos jogadores que ficaram no hostel no 1º Split, só dois continuam na equipe para o Circuito Desafiante: o Top Laner Lucas "Zantins" Zanqueta e o Support Marcelo "Riyev" Carrara. O AD Carry Alexandre "Titan" Lima, que entrou no time às pressas para substituir Vash no CBLoL e atuou improvisado na mid lane, também está no elenco. Há outras duas novidades: o Jungler Matheus "Freire" Freire e o Mid Laner Guilherme "Atlanta" Matos. O técnico é Sylvio "Feefoo" Junior.

A KaBuM competirá com Ilha da Macacada, Brave e-Sports, Iron Hawks, Operation Kino (OPK) e Merciless Gaming. Os seis times se enfrentarão em séries md2, com vitória valendo 3 pontos e empate, 1 ponto. Os quatro primeiros colocados avançarão para as Semifinais. O campeão se classificará diretamente para o 1º Split do CBLoL 2018. Os 2º e 3º lugares disputarão as Séries de Promoção. Clique aqui para ver calendário e as lines das equipes participantes.


Veja também:


Tags: League of legends, kabum, Circuito Desafiante, gaming house