Siga o MyCNB  
  • Menu
  • Notícias
  • "Estou no auge do meu jogo, mas eu posso buscar mais", diz fer

"Estou no auge do meu jogo, mas eu posso buscar mais", diz fer

Com três conquistas recentes em sequência pelo SK Gaming, em quatro campeonatos internacionais de Counter-Strike disputados na Europa, e o título de Most Valuable Player (MVP) em uma das competições, Fernando "fer" Alvarenga considera que vive o auge da carreira profissional.

"Eu posso dizer, sim, que eu estou no auge do meu jogo, mas eu posso buscar mais. Talvez eu não tenha dado 101% de mim, tenha dado 100%. Eu acredito que, se você quer se manter no topo, tem que dar um pouco a mais. Vou voltar dessas férias muito mais focado do que antes porque quero ganhar tudo. Quero que meu time seja o melhor do mundo sempre", disse o cyber-atleta, em entrevista ao MyCNB durante o Encontro das Lendas, em São Paulo.

O SK levantou os troféus na Intel Extreme Masters (IEM) Sidney, na Final Mundial da 3ª temporada da Esports Championship Series (ECS) e na ESL One Cologne 2017. No quarto e mais importante campeonato da turnê, o PGL Major, o time caiu nas Quartas de Final ao perder para o Astralis (Dinamarca). Na ECS, fer foi eleito o melhor jogador do torneio.

fer-pgl-major-csgo-divulga-pbl
fer acredita que esteja no melhor momento de sua carreira no CS:GO (Foto: Divulgação/PGL)

De férias no Brasil, fer está participando do Encontro das Lendas junto com os companheiros de time e, entre os assuntos, falou na entrevista sobre a experiência de estar de volta ao Brasil depois da maratona de competições no Velho Continente e dos próximos objetivos.

Confira a entrevista:

Como é voltar ao Brasil e receber o carinho dos fãs neste evento?

Viemos de muitos campeonatos na Europa, treinamos bastante, agora, antes das férias, participamos de quatro campeonatos, e queríamos muito ganhar os quatro, então estávamos muito focados. O estresse era muito grande, mas tínhamos um propósito de vencer os quatro. Infelizmente, perdemos o major, que era o mais importante, ficamos tristes por isso, acho que não conseguimos jogar o nosso jogo, não é desculpa nem nada, mas não conseguimos achar nosso jogo no major.

É muito bom estar no Brasil. Não temos muito tempo para ficar com a família, agora temos três semanas. Sabemos da importância de estarmos perto dos nossos fãs, aqui no Brasil não tem muita oportunidade de ver a gente de perto, então acho legal ter esse evento aqui para a galera poder tirar uma foto, pegar autógrafo...

Eu fico muito feliz de estar aqui, para dar uma renovada, sabemos que este semestre vai ser duro, temos torneios importantes, tem o Grand Slam lá que fizeram, que se ganhar quatro campeonatos recebe US$ 1 milhão. Já temos um, então faltam três e queremos ganhar os três que vão ter agora de cara. Vamos voltar focados, treinar o dobro que treinamos nesse começo de ano para conseguir ter o sucesso que tivemos e um pouco a mais, queremos esse pouco a mais. Estou muito feliz de estar de volta, mas já estou pensando lá na frente para poder treinar e voltar tendo o sucesso que tivemos no início da temporada.

Antigamente, vocês não tinham todo esse assédio de fãs e hoje há muita gente querendo ver vocês e tirar fotos. Como é isso para você?

Para mim é um pouco estranho. Eu lido bem, mas continua sendo estranho esse contato com os fãs, me reconhecendo na rua, mas eu acho muito legal. É um reconhecimento do trabalho. Algumas pessoas podem achar que estamos lá de férias, que é o emprego dos sonhos, é o emprego dos sonhos porque eu gosto muito de fazer, mas tem a parte ruim, de ficar longe da família, é difícil. Hoje, por exemplo, temos muitos fãs, tem evento lotado para nós, é um negócio incrível, sempre que alguém me reconhece na rua, sempre que estou com meus pais eles ficam emocionados, então vejo que isso é algo muito grande.

Temos oportunidade de conhecer pessoas famosas de outros ramos e eu cheguei e falei: é bem legal conhecer um ídolo seu, que você admira. Então essa experiência é bacana para eles e para nós também, mas para mim ainda continua sendo um negócio novo. Antes, não tínhamos campeonatos grandes, bons resultados, sempre estávamos beliscando alguma coisa, mas nunca estávamos no topo, agora estando no topo é um negócio legal, diferente. Eu fico muito feliz de ter a galera apoiando e torcendo para nós.

Você tem jogado muito bem e recentemente até conquistou o MVP da ECS. Você acha que vive a melhor fase da sua carreira?

Eu acho que, no time antigo que nós tínhamos eu não conseguia achar meu jogo individualmente, porque não estávamos estruturados tão bem, estávamos tendo bastantes problemas e isso acarretava que eu não conseguia encontrar meu jogo, acho que hoje em dia eu estou muito mais solto, por a gente estar no topo dá mais confiança, mas sei que os times estudam mais a gente... Eu posso dizer, sim, que eu estou no auge do meu jogo, mas eu posso buscar mais. Talvez eu não tenha dado 101% de mim, tenha dado 100%. Eu acredito que, se você quer se manter no topo, tem que dar um pouco a mais. Vou voltar dessas férias muito mais focado do que antes porque quero ganhar tudo, quero que meu time seja o melhor do mundo sempre.

Você é o pilar deste time junto com o FalleN, são os membros mais antigos. Por que essa equipe dá tão certo e tem conseguido tanto sucesso, mesmo com mudanças?

As trocas de jogadores são complicadas, a troca de jogador é a última coisa que queremos no time, tentamos fazer o máximo... Na época do steel, do boltz, do zequinha (zkq), estávamos sempre tentando encontrar o jeito certo de jogar, mas, às vezes, você percebe que não está dando e precisa trocar umas ferramentas para dar um ânimo a mais no time, não sei... Eu acho que eu e FalleN estamos juntos desde o começo porque estamos sempre na mesma página, aí você tem que encontrar outros jogadores que estão na mesma página, você encontra alguns que estão por um tempo, mas eles estão com outros objetivos, com a cabeça em outro lugar. Então, acho que você tem que encontrar a combinação perfeita e todo mundo querendo a mesma coisa, porque não é só ganhar, ganhar é muito bom, mas você tem que evoluir, não adianta você ganhar um campeonato aqui, continuar o mesmo no próximo campeonato e uma hora você pode estagnar. Nós não queremos estagnar nunca, queremos evoluir sempre, então acho que esse é o segredo do sucesso: estar sempre em constante evolução.


Veja também:


Tags: csgo, sk gaming, fer, Counter-Strike Global Offensive, encontro das lendas