Siga o MyCNB  
  • Menu
  • Notícias
  • Jogadores aprovam mudanças no formato do CBLoL 2018

Jogadores aprovam mudanças no formato do CBLoL 2018

Em 2018, um novo formato será posto a prova no Campeonato Brasileiro de League of Legends (CBLoL). Para a próxima temporada, a Riot Games modificou os confrontos da Fase de Classificação, passando de md2 para md3, e trocou o tradicional mata-mata pelo inovador “sistema de escada”.

Já a partir do 1º Split do CBLoL 2018, os empates deixarão de existe e a 1ª Fase será levada ainda mais a sério pelas equipes tendo em vista que aquele que terminar na ponta da tabela vai à Grande Final diretamente, enquanto o 2º colocado se classificará para a Semifinal e assim sucessivamente.

Para saber a opinião dos cyber-atletas quanto às mudanças, o MyCNB conversou com participantes do CBLoL e times que estão presentes no Circuito Desafiante mas que já disputaram a principal competição do País. Responderam a Reportagem: CNB e-Sports Club, KaBuM, Keyd Stars, Operation Kino (OPK) ProGaming e-Sports, paiN Gaming e T Show.

A adesão da md3 e a troca feita na Fase Eliminatória foram aprovadas por unanimidade pelos entrevistados. Alguns jogadores foram mais além e sugeriram outras mudanças no formato para o futuro, que ajudariam no desenvolvimento do cenário num todo: como a criação de um returno na Fase de Classificação.


Em 2018, principal competição do País será disputada com novo formato (Foto: Riot Games)

Essa foi a sugestão do Mid Laner do ProGaming, Bruno "Goku" Miyagushi. O cyber-atleta apontou a não incorporação do returno como o “único problema” nas mudanças promovidas pela desenvolvedora já que, com os confrontos só “de ida”, os times brasileiros disputam menos partidas do que os das outras regiões.

“Melhorou muito do que era antes. Eu achava o formato antigo muito ruim”, afirmou o Mid Laner. Goku disse ainda estar “animado porque, tecnicamente, o 5º lugar pode disputar uma final. Então, isso deixa o clima muito mais competitivo e, ao mesmo tempo, compensa quem fica primeiro na Fase de Pontos”.

Um dos reforços do OPK para a temporada do ano que vem, o Mid Laner Júlio “NOsFerus” Cruz acredita que as mudanças promovidas deixarão o CBLoL mais competitivo. "É muito interessante um time sair sempre com uma vitória ou derrota. Também tem o fato do Relegation. Todos os times terão a chance de voltar, mas o pior será o pior mesmo porque vai jogar contra todos e vai disputar a repescagem. Então isso isso vai ser bem competitivo".

Outra novidade da equipe para 2018, o AD Carry Rodrigo "Kalec" Rodrigues acredita que "pelo nível das equipes [do CBLoL] a md3 seja melhor, tendo mais treinamentos nesse formato e se adaptando durante a série". O jogador também elogiou o novo formato da série de Promoção, que passará a se chamar de série de Acesso, "porque agora não é mais escolha de time, mas sim por mérito".


O veterano Kalec foi um dos cyber-atletas que aprovaram as mudanças no CBLoL (Foto: Reprodução)

No ano que vem, o último colocado do Split do CBLoL continuará sendo rebaixado para o torneio da 2ª divisão. Porém, aqueles que terminarem na 6ª e 7ª colocação não terão mais o direito de escolher se querem enfrentar o vice-campeão do Desafiante ou o 3º lugar. Isso porque, o perdedor do confronto entre o 4º e 5º colocado enfrentará o 6º lugar da 1ª Fase. Consequentemente, o time que perder a série anterior enfrentará o 7º colocado para definir quem vai duelar com o 2º colocado da segunda mais importante competição do País.

Apesar de preferir os confrontos em md1, o treinador da KaBuM, Sylvio "Feefoo" Junior, afirmou que os jogos "sendo md3 vai evoluir bastante o time" já que "vão ser mais jogos competitivos", o que "significa mais evolução, mais estratégias e, então, os times terão que se preparar melhor". O coach completou dizendo que "prefere md3 a md2" mas que gostaria, mesmo, é de md1, mudança que espera que "venha no futuro".

Na visão do Jungler do T Show, Daniel "Danagorn" Drummond, a vaga direta na Grande Final para o melhor da Fase de Classificação dará a todos a certeza de qual foi o melhor time da 1ª Fase. "Isso vai dar uma vantagem. Então, os times vão querer ficar em 1º lugar por conta da vantagem absurda de ir direto para a final. Logo, vão dar muito mais valor para as séries".

O jogador também elogiou a mudança feita na Fase Eliminatória "porque o 5º lugar pode tanto ir para a final, quanto ir pro Relegation. Então, é uma coisa bem 'da hora' de se disputar.

De acordo com o AD Carry do CNB, Pabo "pbO" Yuri, os cyber-atletas brasileiros começaram a notar que "o formato md2 era ruim" depois do Rift Rivals. Só depois das dificuldades enfrentadas no torneio internacional que, segundo o atirador, "o pessoal começou a pensar: 'será que o formato brasileiro é o melhor? E muitos falaram que não e eu acho também não é".

O jogador acredita que a mudança para md3 seja o melhor formato. Ele gostou também da "escadinha" na Fase Eliminatória, igual como acontece na liga sul-coreana (LCK). "Acho que vai ser muito mais competitivo, principalmente na fase de pontos corridos: o 1º lugar já vai pra final, então acho que todo mundo vai querer lutar por ele".


Agora Top Laner, Takeshi disse que o antigo formato da competição ficou saturado (Foto: Divulgação/paiN Gaming)

O novo Top Laner do paiN, Murilo "Takeshi" Alves, afirma que "o cenário do CBLoL já precisava de mudança" porque "esse formato de md2, disputado desde 2015, já saturou um pouco". Com isso, na visão do jogador, "os jogadores e própria comunidade já estavam um pouco cansada de empates".

O ex-Mid Laner classificou esse formato como "muito bom" e afirmou que "agora a Fase de Pontos vai valer muito também porque o primeiro indo para a final direto vai ter muito tempo para treinar e esconder o jogo". Para Takeshi, a Riot Games "acertou" com as mudanças.

Com pé no chão, o também Support do time, Caio "Loop" Almeida, foi o mais comedido, dizendo que "só vendo para saber". Porém, para o jogador "qualquer mudança tende a criar uma melhora porque quando algo muda, mesmo para pior, você tende a ter que se adaptar e, quando você se adapta, você cresce muito e aprende a lidar com coisas novas".

Dois dos cinco integrantes da reformulada line-up do Keyd também aprovaram as mudanças feitas pela Riot no formato do CBLoL. O AD Carry Micael "micaO" Rodrigues acredita que em "só ter mais jogos e a fase de pontos valer mais" é um grande avançado "porque o 1º lugar vai direto para a final e isso torna mais competitivo".

Na visão do atirador, a temporada 2017 "já foi melhor porque só os quatro [primeiros colocados] foram para os Playoffs" já que "antigamente eram seis" e, por conta disso, "você podia fazer qualquer campanha, ficar em 6º lugar 'de boa' e ser campeão". O jogador completa dizendo que "eles [Riot] estão tornando ela [Fase de Classificação] mais valiosa, Os times vão 'tryhardar' mais, veremos jogos mais competitivos e, com formato de md3, vai ser sempre uma vitória ou uma derrota, não tendo mais empate".

O Jungler Gabriel "Revolta" Henud vê que, apesar de ter visto "muita gente criticando, falando 'ah, a gente não joga tantos jogos, essas mudanças tornam "tudo mais competitivo, mais emocionante". "O time que, antigamente, ficava em 5º lugar ia se mantar no CBLoL e só, mas agora você vê uma disputa muito grande: você cai pro Relegation ou sobre pro Playoff.

Para o jogador, com esse novo formato "você não deixa aquele time desmotivado, você motiva todo mundo a treinar e isso eleva o nível do cenário, querendo ou não". Segundo Revolta, "não é só o número de jogos que vai fazer a gente melhorar, a competitividade também faz isso". Assim como Goku, o Jungler é outro que gostaria de ver o returno, já que "daria um gás a mais", mas "está ótimo por enquanto".

Integrantes do INTZ, o Top Laner Marcelo "Ayel" Mello e o Mid Laner Bruno "envy" Farias também ficaram felizes com as mudanças promovidas pela Riot Games, porém ambos fizeram algumas ressalvas.

Envy acredita que o novo formato apresentado não deixou o torneio do jeito que os jogadores queriam "de maneira completa" já que o "ideal seria ter md3 com dois turnos". Já Ayel acredita que o único problema ainda existente no torneio "é o fato de ter só oito times. Acredito que se fossem dez, a competição poderia ser mais dinâmica e desenvolver mais talentos ao redor do Brasil".

 


Veja também:


Tags: League of legends, kabum, Keyd Stars, cnb e-sport club, cblol 2018