Siga o MyCNB  
  • Menu
  • Notícias
  • Jogadores comentam sobre jogar no novo estúdio do CBLoL

Jogadores comentam sobre jogar no novo estúdio do CBLoL

No último fim de semana, começou a 1ª Etapa do Campeonato Brasileiro de League of Legends (CBLoL), e como já era sabido pelo público, o formato a partir deste ano será diferente das outras etapas, com séries md3, playoff e relegation em Escalada, etc. Mas, outra novidade que cercou o início do torneio foi o novo estúdio utilizado para os jogos da Riot Games. No novo espaço, as duas equipes estão mais próximas umas das outras, e o principal é a ausencia da parede que as dividiam no estúdio antigo.


Jogadores do Red Canids Corinthians gritam após vitória contra ProGaming (Foto: Riot Games)

Sobre a nova estrutura apresentada pela desenvolvedora, o MyCNB perguntou aos jogadores o que eles acharam não só esteticamente, mas também competitivamente dessa proximidade das equipes durante os jogos.

Gabriel “Revolta” Henud e Luan “Jockster” Cardoso, do Vivo Keyd concordaram que a saída da parede divisória foi positiva: “Da um ar de mais rivalidade. Eu gosto, quando dou um gank, de olhar para os jogadores para ver a reação deles. É algo que vai afetar muito o psicológico dos jogadores”, contou o Jungler. Enquanto que o Support dos Guerreiros definiu a antiga divisão como “inconveniente”: “Eu gosto de gritar bastante, eu gosto de mostrar pra eles (adversários) a emoção que eu to sentindo e ver a emoção que eles estão sentindo, por isso achei bem legal”, completou Jockster.


Jockster achou positiva proximidade das equipes durante os jogos (Foto: Riot Games)

Enquanto que, até agora, não houve nenhum jogador que opinasse negativamente em relação à proximidade das equipes, tivemos quem fosse indiferente, como Gabriel “Turtle” Peixoto, Jungler do CNB e-Sports Club: “Sendo bem sincero, eu não olhei muito para a outra equipe. Eu já fui de gritar, gritar muito, principalmente contra o Takeshi quando ele falava pra eu pegar Sejuani. Mas hoje eu joguei mais como se eu estivesse dentro de uma caixa com o meu time. Para quem gosta de gritar e intimidar o adversário, com certeza foi muito bom”, declarou o cyber-atleta.

Quem compartilha a mesma opinião é Luccas “Zantins” Zanqueta, Top Laner do KaBuM: “Pra mim não influencia tanto porque eu foco bastante quando o jogo começa, então praticamente eu só olhei pro adversário antes e depois dos jogos”, declarou rapidamente.


LEP acha que a rivalidade deve haver no Brasil (Foto: Riot Games)

Dono de uma das jogadas mais bonitas do fim de semana, Pedro “LEP” Marcari do Red Canids Corinthians falou dos gritos e provocações após a série contra o ProGaming e também da nova estrutura: “Olha eu acho bem mais legal assim, acho que no Brasil tem que rolar essa apimentada, é comum do brasileiro, a galera quer ver isso, os gritos, a rivalidade, por isso é muito legal e também porque fica essa brincadeira, uma hora você grita com eles, aí eles gritam com você e fica nisso, nessa disputa de querer ‘tiltar’ o outro.”

O CBLoL retorna no próximo fim de semana, a partir de sábado, às 13h, confira a agenda completa.

Sábado, 27 de janeiro

13h – Red Canids Corinthians x CNB eSports
15h – Team oNe x INTZ eSports

Domingo, 28 de janeiro

13h – Keyd Stars x ProGaming eSports
15h – KaBuM eSports x paiN Gaming


Veja também:


Tags: cnb e-Sports club, League of legends, kabum, revolta, cblol, lep, turtle, jockster, zantins, novo estúdio, vivo keyd