Siga o MyCNB  
  • Menu
  • Notícias
  • Ex-sócio do Unity é expulso da organização por assédio

Ex-sócio do Unity é expulso da organização por assédio

Em meio a polêmicas envolvendo alguns ex-jogadores do Unity Telecom e-Sports, segundo apurou o MyCNB, o ex-sócio da organização, Jimmy Carter, foi excluído da empresa e também do quadro de sócios, por prática de assédio sexual contra meninas fora dos meios do Unity.


Jimmy (canto sup. dir. de boné) já havia sido acusado de assédio na IDM Feminina (Foto: Divulgação)

Segundo a apuração, fontes da própria organização confirmaram o assédio por parte de Carter, além de diversos prints publicados nas redes sociais. De acordo com as mesmas, o ex-sócio se aproximava das meninas oferecendo algum trabalho como modelo, ou até mesmo uma função dentro da staff da equipe, em troca de fotos íntimas.

Em conversa com o Diretor Geral do Unity e-Sports, Gabriel Marvila, foi revelado que, além disso, Carter chegou a oferecer vagas para times femininos para as vítimas. Quando perguntado se a organização sequer havia essa intenção, Marvila explicou: “Eu particularmente sempre pensei em fazer coisas pro cenário feminino. Inclusive temos uma coisa chamada "caixinha de ideias" e uma das meninas da nossa equipe de eventos tinha escopado a realização de campeonatos femininos mas nada disso chegou a realmente ser iniciado oficialmente pela organização.”

Questionado se Carter sabia destas ideias, o Diretor foi categórico: “A política ideológica da Unity sempre foi de desenvolvimento e promoção dos cenários. Assim eu fiz em São Gonçalo, Niterói, e estou começando a ampliar por todo estado do Rio. Ele sabia sim que em algum momento iríamos começar isso, até por termos meninas na staff que são bem engajadas em questões políticas e feministas. Mas nada do que ele fez foi apoiado ou embasado em nossos projetos.”

Sobre o caso de assédio em si, a organização se pronunciou afirmando que Jimmy Carter não faz mais parte do Unity e-Sports, tão pouco responde mais pela empresa. Foi esclarecido, inclusive, que está sendo verificado com o setor jurídico da organização meios para que o nome do ex-sócio não esteja mais no quadro de proprietários da equipe.

Através da Diretora de Comunicação do Unity, ao MyCNB foi dito que:

“Nós já sabíamos sobre o caso do Jimmy desde 2017, quando surgiram as primeiras acusações na Antiga ilha da macacada feminina.

Porém, após esses casos terríveis dos quais a organização repudia com todas as forças, ele prometeu mudar e se tornar uma pessoa melhor.

Vale lembrar que em 2017 a organização ainda não era reconhecida e não tinha esse investimento que foi concedido em 2018.

Ele prometeu que iria melhorar justamente porque queria repensar seus atos e também porque a organização estava crescendo e isso automaticamente afetaria a empresa.

Contudo, no mês passado soubemos do primeiro relato e que a situação não havia sido alterada. Ele continuava sendo a mesma pessoa. E agora com isso que veio à tona dos jogadores, acabamos descobrindo muitos outros casos o que nos leva a pensar que não podemos dar mais chances para ele se redimir. Isso está manchando a imagem da organização e nos prejudicando.

Iremos afastá-lo de tudo. Porém isso tem uma certa burocracia, porque querendo ou não ele é sócio e tem direito na empresa.

Vamos estudar como vamos fazer isso da melhor forma possível e claro, vamos assumir as consequências disso de cabeça erguida e ajudando e auxiliando todas as vítimas a relatarem conosco para que possamos tomar uma providência clara e coesa.

Sabemos da importância do feminismo na sociedade machista que vivemos e principalmente no ramo de eSPORT acontece muito isso, infelizmente.

Queremos que as mulheres do meio sejam respeitadas devidamente por serem quem são e não serem mais comprometidas com situações constrangedoras como essa de oferecer um monte de coisas em troca de “nudes” e dentre outros.”

O MyCNB não conseguiu contato com Jimmy Carter até a publicação desta matéria

The Pink Storm 2016

Um caso semelhante ocorreu em 2016, com a organização The Pink Storm, em sua equipe feminina de League of Legends. Na época, o ex-treinador foi expulso da equipe por oferecer privilégios no processo seletivo para a line-up, em troca de fotos íntimas. Segundo o time, ele foi desligado assim que os fatos chegaram ao conhecimento da administração.


Veja também:


Tags: League of legends, Unity e-Sports, jimmy carter, assedio