Siga o MyCNB  
  • Menu
  • Notícias
  • Para Revolta, “química” do Keyd não acabou: "Gostamos de trabalhar juntos"

Para Revolta, “química” do Keyd não acabou: "Gostamos de trabalhar juntos"

Neste sábado (28) o Vivo Keyd foi derrotado pela 4ª vez consecutiva neste Campeonato Brasileiro de League of Legends (CBLoL). O revés da 6ª Semana foi por 2x0 a favor do Flamengo e-Sports.


Revolta afirma que o clima na GH do Vivo Keyd continua positivo (Foto: Riot Games)

Em conversa com o MyCNB, o caçador dos Guerreiros Gabriel “Revolta” Henud afirmou que, apesar de tudo, o clima na Gaming House continua positivo: “Surpreendentemente o clima está muito bom, nós gostamos de jogar juntos, de viver juntos, e isso que é o bizarro, porque minhas experiências com times indo mal eram porque o time não queria jogar junto”, afirmou o atleta, que complementa: “Nós queremos continuar um do lado do outro, se precisamos fazer alguma mudança, sentamos e conversamos sobre, não tem birra entre nós. É exclusivamente do jogo.”

Perguntado se o problema seria a complexidade do meta, Revolta retrucou afirmando que, na verdade, é a disparidade dele para os antigos “Por exemplo, você ser melhor que alguém mecanicamente não importa tanto, o que importa é você saber jogar em time e como distribuir recurso, etc. É um estilo que gostamos, mas são pequenos detalhes do jogo que mudaram que não estamos habituados, mas não acho que tenhamos parado no tempo”, Revolta ainda contou sobre algo que os próprios jogadores da line-up conversaram “É uma coisa que conversamos entre nós, de que quem vive de passado é museu, e não queremos viver de história. Tanto é que a mídia falava de exódia, a gente dizia que isso não existia, perdemos isso em 2016. O público tem uma visão muito errada de nós porque a mídia manipulou isso.”

Inclusive, 2016 foi o ano que esta equipe, formada por Felipe “Yang” Zhao, Gabriel “Revolta” Henud, Gabriel “Tockers” Claumann, Micael “Micão” Rodrigues e Luan “Jockster” Cardoso estourou no cenário competitivo brasileiro, sendo campeã dos dois splits daquele ano e representando o Brasil no Mundial. Na época pelo INTZ, a line-up conquistou a maior vitória de um time brasileiro em campeonatos internacionais, contra o campeão da LPL, EDG.


Vivo Keyd acumulou seis pontos em seis rodadas (Foto: Riot Games)

O MyCNB perguntou ao Jungler se a química que unia o quinteto não poderia ter acabado, o que foi prontamente negado por ele, que ressaltou: “A gente gosta de morar junto, de trabalhar junto. Não temos problema de falar algo um para o outro, somos muito abertos e isso faz com que vivamos momentos muito bons, e eu acredito que se vivermos momentos ruins, vamos dar a volta por cima.”

Na última rodada o Vivo Keyd enfrenta o CNB e-Sports Club, no sábado (4 de agosto), às 15h. O jogo valerá a vida na Fase de Escalada, ou a morte na Série de Promoção para a equipe outrora indiscutivelmente vitoriosa.

Antes disso, porém, o CBLoL continua neste domingo (29) com as séries entre INTZ x RED Canids e KaBuM! x CNB.